São Paulo vai ter que pagar R$ 22 milhões para fechar com centroavante

Não é de hoje que o São Paulo está em busca de um novo centroavante. O Tricolor visa um nome para ser o reserva imediato e uma “sombra” de Jonathan Calleri, que é titular absoluto e peça fundamental na equipe comandada pelo técnico Thiago Carpini.

A diretoria paulista espera encontrar oportunidades de mercado, ou seja, atletas que possam vir a ser emprestados ou que estejam em fim de contrato. Contudo, as opções estão cada vez menores. Por hora, o SPFC vem utilizando o jovem Juan para a posição. O grande problema é que a cria de Cotia vem sendo muito criticada pela torcida nos últimos jogos.

Diante disso, o São Paulo acompanha de perto a situação do atacante André Silva, que atualmente defende o Vitória de Guimarães, de Portugal. Ele vem sendo o principal nome do time nesta temporada, marcando 13 gols e distribuindo mais duas assistências em 27 partidas disputadas até o momento.

O grande problema é que, apesar do interesse confirmado pelo jornalista André Hernan, as condições de negócio são complicadas. Os portugueses não querem perder, neste momento, o seu principal destaque ofensivo.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Condições de negócio são complicadas

Ele quase foi transferido para o futebol italiano na última janela de transferências, e sem possibilidade de reposição neste momento, o Vitória de Guimarães só deve aceitar vendê-lo no meio do ano, quando abre o outro período de negociações na Europa. 

A má notícia é que segundo o jornalista Alexandre Zanquetta, do Blog do São Paulo, o Tricolor teria que pagar, no mínimo, R$ 22 milhões por sua contratação, valor que está fora da realidade atual do clube.