Zagueiro Dória revela contato para voltar ao São Paulo

Ídolo da torcida do Santos Laguna, do México, o zagueiro Dória acumulou uma boa passagem pelo São Paulo em 2015. Na época, esteve emprestado junto ao Olympique de Marselha, da França, clube no qual estava sem espaço e com poucos minutos em campo. Em entrevista dada em 2019 à ESPN, o defensor relembra seu período no Tricolor com muito carinho.

“Sou muito grato [ao São Paulo] porque me deu confiança de novo. Fiquei jogando seis meses pelo time B do Olympique de Marselha e estava muito triste. Fiquei decepcionado e achei que as coisas seriam diferentes. O São Paulo deu uma renovada na minha carreira. Fiz um gol no Morumbi e receber a notícia que a minha esposa estava grávida de dois meses da nossa filha. Pude homenageá-la e coloquei a bola na barriga. Foi bem legal”, disse.

Dória foi treinado pelo técnico Juan Carlos Osorio, colombiano que deixou o clube posteriormente para ser o comandante da seleção mexicana na Copa do Mundo de 2018. O trabalho foi bastante elogiado na época.

“Joguei com o Osorio e foi show porque fiz 12 jogos e saí com a sensação de missão cumprida por ter deixado o time na liderança do Brasileiro.Começamos muito bem, mas venderam muitos jogadores no segundo semestre. O time depois deu uma caída”, prosseguiu.

Dória se tornou um ídolo do Santos Laguna e defende o clube mexicano desde 2018. Mesmo longe do Morumbi, ele revelou que ainda recebe mensagens dos são-paulinos. “Até hoje tem torcedores que pedem para eu voltar ao São Paulo pelas redes sociais”, admitiu.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Cruzeiro sondou situação de Dória

Visando se reforçar na janela de transferências de julho, o Cruzeiro sondou a situação de Dória. De acordo com o portal No Ataque, Alexandre Mattos, CEO do departamento de futebol, é quem deve comandar a negociação.

Apesar disso, o brasileiro é a segunda opção para a zaga. Isso porque o Cruzeiro quer a contratação do colombiano Yerry Mina, do Cagliari, da Itália. Caso a negociação não dê certo, os mineiros devem partir em busca de Dória.