Vinícius Junior vai polícia contra racistas e recebe críticas na Espanha

Nesta quinta-feira (5), Vinícius Júnior se apresentou ao tribunal de Madri para prestar seu depoimento sobre o episódio de racismo ocorrido durante partida contra o Valencia, no dia 21 de maio, no estádio Mestalla, em confronto válido pelo Campeonato Espanhol.

De acordo com a agência de notícias EFE, o jogador brasileiro disse que foi vítima de atos racistas e irá seguir com o processo. O tribunal contou com advogados de três pessoas, com idade entre 18 e 21 anos, que foram vistos por câmeras praticando o ato e, posteriormente, proibidos de entrar no estádio para sempre.

A reação de alguns não foi positiva. Mesmo sendo a vítima de ataques dessa natureza, alguns insistem em criticar o brasileiro. Na visão de Manuel Izquierdo,  “Vinícius teve uma atitude arrogante” e que “provocação é inerente ao futebol”.

O episódio ocorreu em 21 de maio, quando os torcedores do Valencia começaram a chamar Vinicius de macaco durante a partida. Os atos tiveram início na chegada do ônibus do Real Madrid ao local.

Na segunda etapa, Vini mostrou dois torcedores que estavam imitando o animal para as autoridades ali presentes. A partida chegou a ser interrompida por alguns minutos. No final do duelo, o brasileiro ainda foi expulso após análise do VAR,  por conta de uma confusão com um atleta rival.

Através das redes sociais, Vinícius Júnior se mostrou irritado com o ocorrido, e até chegou a ameaçar uma saída do Real Madrid e também do país: “Vou até o fim contra os racistas. Mesmo longe daqui”.

O Valencia publicou uma nota oficial, que criticava o depoimento de Vinícius.  O clube espanhol reagiu com  “surpresa, rejeição e indignação”. 

Confira o comunicado oficial do Valencia

“Em relação à informação publicada sobre a declaração prestada em tribunal pelo jogador de futebol Vinícius Jr., afirmando que todo o estádio Mestalla o lançou insultos racistas no jogo entre Valencia CF e Real Madrid CF na temporada passada, o Clube deseja manifestar a sua surpresa, rejeição e indignação.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Como o próprio treinador Carlo Ancelotti reconheceu publicamente, em nenhum caso o comportamento pode ser generalizado a todo o estádio do Mestalla.

O Clube tem plena consciência da gravidade deste assunto. O racismo não tem lugar no futebol nem na sociedade, mas não pode ser combatido com falácias ou mentiras infundadas. Esta questão exige o envolvimento de todos e o Valencia CF entende que deve ser escrupulosamente preciso e responsável neste tipo de manifestações.

Os torcedores do Valencia não podem ser classificados como racistas e o Valencia CF exige que Vinicius Jr. retifique publicamente a sua alegada declaração esta manhã”.