Veja como Casares pode comprar o estádio do Corinthians

Vivendo uma das piores crises financeiras de sua história, o Corinthians planeja tomar uma curiosa atitude quanto a Neo Química Arena, sua casa desde a temporada de 2014. Buscando se livrar do pagamento de juros abusivos em relação ao estádio, o clube negocia com a Caixa para vender parte da Arena na bolsa de valores.

Segundo informações dos jornalistas Bruno Cassucci e Marcelo Braga, do portal ge, o Alvinegro quer se manter como controlador, mas não nega abrir mão de até 49% das ações. As conversas entre a diretoria, comandada pelo presidente Duílio Monteiro Alves, e o banco estatal já duram alguns meses e tem a empresa KPMG com intermediária.

No atual momento, o Corinthians ainda paga o financiamento do local para a Caixa. Só neste ano, por exemplo, o clube desembolsou cerca de R$ 100 milhões ao banco. O valor principal, estimado em mais de R$ 600 milhões, começará a ser pago à partir de 2025.

Em uma das possibilidades pensadas, as cotas disponibilizadas pelo Corinthians seriam oferecidas aos investidores na bolsa. Neste caso, interessados comprariam essas ações para receberem dividendos. A curiosa movimentação pode fazer com que presidentes rivais como Julio Casares e Leila Pereira, possam “comprar” fatias da Arena.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Corinthians tem a segunda maior dívida do país

Buscando negociar uma parte de sua Arena na bolsa de valores para causar um respiro aos cofres, o Corinthians tem vida econômica bastante complicada. Em recente ranking divulgado pelas consultorias Galapagos e OutField, o Alvinegro aparece na segunda posição entre os clubes com maiores dívidas do futebol brasileiro.

Com R$ 1,029 bilhões em valores em aberto, o clube paulista só é superado pelo Atlético-MG, dono de uma dívida de R$ 1,498 bilhões. Cruzeiro, com R$ 800 milhões, Vasco, com R$ 715 milhões, e São Paulo, com R$ 698 milhões, completam o Top 5.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.