Torcedor do San Lorenzo é preso após gesto racista em jogo com SPFC

Na noite desta quinta-feira (11), um torcedor e um integrante da diretoria do San Lorenzo foram presos após cometerem atos racistas direcionados a torcedores do São Paulo, no estádio do Morumbi.

Ambos os casos foram durante o duelo pela volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana, no qual o Tricolor acabou vencendo por 2 a 0, e se classificando para a próxima fase do torneio continental.

O torcedor David Emanuel foi flagrado ao jogar uma banana e fazer gestos racistas em direção a uma criança são-paulina de apenas 12 anos de idade. Os policiais o tiraram da arquibancada e o levaram para a delegacia mais próxima.

Já um dos diretores do clube argentino mostrou a foto de um macaco para alguns torcedores tricolores, fazendo gestos racistas e imitando o animal. Ele estava no setor camarote para os cartolas do San Lorenzo.

O delegado Cesar Saad disse ao G1 que ambas as prisões foram avaliadas como preventivas pela Justiça. Os dois homens foram levados para um Centro de Detenção Provisória (CDP).

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Após uma mudança na lei brasileira, o crime de racismo não possui o direito de pagamento de fiança. Ainda de acordo com o G1, eles seguirão presos no Brasil até segunda ordem.

Outro caso de racismo em partidas contra times sul-americanos

Em julho, o preparador físico do Universitário, do Peru, Sebastian Avellino Vargas, foi preso na capital paulista depois de fazer gestos racistas aos torcedores do Corinthians, durante a partida realizada em Itaquera.

Duas semanas mais tarde, a Justiça o liberou, alegando que ele não cometeu nenhum tipo de agressão física ou ameaça grave. De acordo com o juiz Antônio Maria Patiño Zorz, o preparador físico não representa “risco à paz e tranquilidade social”, e que “cujos ânimos aparentemente estavam aflorados”.