São Paulo se recusa a usar gramado sintético

Diante da possibilidade real da reforma do estádio do Morumbis, São Paulo e WTorre chegaram a um acordo em relação ao gramado. O Tricolor se recusou a implantar um campo sintético, algo que a empresa não concordava no início. Porém, o gramado não será trocado e continuará com grama natural.

De acordo com informações divulgadas pelo portal Globo Esporte, a tendência é que o projeto de reforma do Morumbis seja entregue ainda em 2024. Existem conversas semanais entre as duas partes, sendo que um dos profissionais que representa o SPFC nas reuniões é o Eduardo Toni, atual diretor de marketing do clube.

“O projeto está andando muito bem. Temos feito reuniões semanais com a WTorre, evoluído em aspectos de camarote, área de entorno. Hoje, temos algumas possibilidades ainda a serem definidas, principalmente no aspecto de cobertura. A cobertura tem um impacto muito importante, porque vamos manter o gramado natural”, disse Toni,  ao ge.

Além de questões como o próprio gramado, o clube e a WTorre também analisam outros aspectos do estádio, como a possível cobertura. Contudo, ainda existem muitos pontos a serem debatidos.

“Se cobre 100%, se é retrátil, até onde vai ser retrátil… É uma relação de custo benefício. Estamos fazendo todas essas análises, porque impacta em tudo, até no valor que vamos poder oferecer a cadeira”, continuou Eduardo Toni.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

SPFC não pagará a reforma; confira os valores

A projeção inicial de custos é que toda a reforma do estádio deve custar algo em torno de R$ 800 milhões. O montante estimado foi projetado ainda em dezembro do ano passado.  Vale lembrar que a WTorre será responsável por todo o custo.

Além do gramado, já está acertado que o Morumbis contará com mais de 200 camarotes quando estiver pronto para a utilização. Um anfiteatro para 20 mil pessoas também será criado, além de um estacionamento para dois mil carros. A previsão de finalização das obras é para 2030, justamente no ano do centenário do SPFC.