São Paulo pode usar a FIFA para banir o Botafogo

A guerra entre São Paulo e Botafogo nos bastidores, iniciada após as insinuações do empresário John Textor, dono da SAF do clube carioca, de que jogadores do Tricolor teriam manipulado o jogo com o Palmeiras no último Campeonato Brasileiro, deve ganhar novos capítulos nos próximos dias e chegar até aos escritórios da FIFA.

De acordo com o colunista Eder Traskini, do UOL Esporte, o São Paulo estuda processar o Botafogo na entidade máxima do futebol por considerar a venda do goleiro Lucas Perri para o Lyon, da França, como subvalorizada. Os dois clubes responsáveis pela negociação são de propriedade de Textor, proprietário da rede Eagle Football.

A diretoria do presidente Julio Casares entende que os 10 milhões de euros (R$ 54 milhões) pagos pelo Lyon estão fora da realidade, visto que Perri foi um dos melhores goleiros do país na última temporada e chegou até mesmo a defender a Seleção Brasileira. A visão é de que Textor se utilizou de uma artimanha para levá-lo à França.

Formador do atleta, o São Paulo tem direito a 18,3% do montante, cerca de R$ 9,8 milhões, já que ainda detinha 15% dos direitos econômicos do arqueiro e os 3,3% como clube formador pelo mecanismo de solidariedade da FIFA. Caso leve a questão para a entidade, o Botafogo poderá sofrer sanções como, por exemplo, o Transferban.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Veja a nota do São Paulo sobre as falas de Textor

“O São Paulo Futebol Clube tomou conhecimento e repudia veementemente as graves e infundadas acusações de participação de atletas do elenco tricolor em manipulação de resultado feitas pelo dono da SAF Botafogo.

Tal afirmação sem nenhum vestígio de prova ataca a idoneidade de jogadores do elenco profissional masculino e a lisura da instituição São Paulo FC em seus 94 anos de história.

O clube já acionou seu departamento jurídico, que estudará e tomará as medidas cabíveis na esfera legal.”

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.