São Paulo é o segundo time que menos trocou de técnico nas últimas 2 décadas

Além do talento, o futebol brasileiro acaba sendo reconhecido na Europa como um verdadeiro “cemitério de tecnicos”, já que os clubes avaliam o trabalho de um comandante em poucas rodadas, sendo o suficiente para demiti-los.

Por sinal, em entrevista, o próprio Jurgen Klopp, técnico do Liverpool, deu uma “cornetada” ao futebol brasileiro, afirmando que os clubes “trocam de técnico com mais frequência do que as pessoas trocam de roupa íntima”.

O São Paulo segue o modelo inverso da maioria dos times do país, já que, segundo informações divulgadas pelo “Espião Estatístico”, do portal Globoesporte, o clube foi o segundo que menos trocou seu comando desde 2003. O Tricolor foi treinado por 27 profissionais diferentes. 

Destes, alguns tiveram períodos mais longos, como Muricy Ramalho, tricampeão brasileiro em 2006, 2007 e 2008. Rogério Ceni também ficou bastante tempo em sua última passagem, passando de um ano e meio.

O time brasileiro que menos trocou técnicos na década foi o Palmeiras, com 25 trocas. Abel Ferreira, atual treinador do Alviverde, está desde 2020 no clube, e já levantou praticamente todas as taças que disputou. O Grêmio é o terceiro, com 28.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Com a demissão de Guto Ferreira e a contratação de Vagner Mancini, o Ceará se isolou como o time que mais teve mudanças no comando técnico desde 2003. Desde então, foram 61 trocas. O Paraná vem logo atrás, com 59, seguido do Fortaleza, com 57, fechando o pódio.

Times com mais trocaram seus treinadores desde 2003

  • 1- Ceará: 61
  • 2- Paraná: 59
  • 3- Fortaleza: 57
  • 4- Atlético-GO, Náutico e Vitória: 56
  • 5- Bahia: 54

Times que menos trocaram seus treinadores desde 2003

  • 1- Palmeiras: 25
  • 2- São Paulo: 27
  • 3- Grêmio: 28
  • 4- Corinthians: 31
  • 5- Bragantino: 32