São Paulo disputa atacantes com europeus

Conhecido por formar diversas jóias ao futebol mundial, o São Paulo sofre contra o assédio europeu por dois jogadores atualmente. Tratam-se dos atacantes William Gomes e Henrique Carmo, ambos nascidos em 2006. São tratados como uma das maiores promessas de Cotia dos últimos anos.

Por sinal, os dois já treinam com o time profissional comandado por Luis Zubeldía. William atuou em cinco jogos nesta temporada, uma pelo Campeonato Paulista,  uma válida pela Libertadores, uma pela Copa do Brasil e duas do Brasileirão. Acabou entrando em todas no segundo tempo, inclusive na última quarta-feira (19), na derrota para o Cuiabá.

Henrique, que também é visto como uma estrela ascendente, ainda não fez sua estreia pela equipe profissional, até por ser oito meses mais novo em relação a William. Foi relacionado cinco vezes, sendo sob o comando de Thiago Carpini e uma com Zubeldía.

Ambos receberam propostas concretas da Europa, recusadas pela diretoria do São Paulo. O diretor de futebol do clube, Carlos Belmonte, revelou os valores e o motivo pelo “não”, em entrevista ao canal dos jornalistas Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi.

A gente teve sondagens, e posso citar valores de 7, 8 e 9 milhões de euros (entre R$ 41 milhões e R$ 52 milhões) para atletas como William e Henrique. Foram propostas muito semelhantes. A gente acha que precisamos tê-los e campo e vê-los jogando primeiro para entender o quanto eles podem ter de valorização”, inicou. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

William chegou ao São Paulo em 2021, aos 15 anos. Marcou 14 gols em 31 jogos pelo sub-17 e possui a velocidade e drible como principais características. Estreou sob o comando de Dorival Júnior. Já Henrique está no clube desde os sete anos de idade e fez sua estreia no sub-20 com somente 16 anos. Também subiu ao profissional com Dorival. 

“Os meninos encantam a todos no dia a dia e nos treinamentos, eles têm futuro brilhante. Temos muita calma neste momento. Não estávamos como estávamos em 2021. No fim de 2022, em 2023 e agora agora, a situação financeira é muito melhor, então dá para ter um pouco mais de calma”, finalizou Belmonte.