São Paulo deixa a torcida feliz da vida com novo reforço diferenciado

A última semana de 2023 apresentou uma série de novidades para os torcedores do São Paulo. Além de ver seu amado clube vender o naming rights do Morumbi para a Mondelez, a torcida são-paulina recebeu como presente o anúncio da esperada e tão sonhada reforma do Morumbi, casa do Tricolor desde a década de 1960.

No dia 29 de dezembro, São Paulo e a WTorre entraram em acordo para a reforma do estádio. O contrato, já assinado, prevê a modernização do local até o fim de 2030, ano em que o clube comemorará 100 anos de existência. Segundo o plano, o Morumbi terá capacidade de 85 mil pessoas para partidas e 100 mil para shows.

Faixa Morumbi
Faixa da torcida do São Paulo no Morumbi — Foto: Marcos Ribolli

Segundo informações do ge.globo, a reforma pode chegar a um custo de R$ 800 milhões, desembolsados pela própria construtora. Em troca, a WTorre poderá explorar a utilização do Morumbi pelos próximos 30 anos. O São Paulo, no entanto, poderá vetar datas de shows, priorizando os jogos de futebol.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Dentre as melhorias apresentadas está um apelo antigo dos são-paulinos que acompanham os jogos no Morumbi: a inclusão de uma cobertura parcial do local. A ideia é de que o anel inferior seja demolido e a pista de atletismo não exista mais. Assim, a capacidade aumentará para 85 mil lugares e os torcedores ficarão mais próximos do campo.

MorumBIS virou case de sucesso segundo especialistas

Buscando gerar ainda mais receitas para ultrapassar a pior crise financeira de sua gloriosa história, o São Paulo apresentou uma grande novidade ao seu apaixonado torcedor neste mês. Negociando a venda de naming rights do Morumbi junto a Mondelez, fabricante de chocolates, o Tricolor irá embolsar cerca de R$ 25 milhões por ano.

O acordo, anunciado no início desta semana, foi considerado um case de sucesso por grandes especialistas do mercado econômico. Na visão deles, os valores envolvidos em um contrato curto, de apenas três anos, e a comercialização do ‘naming’ de um estádio tão tradicional são pontos extremamente positivos para ambos os lados.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.