São Paulo cobra R$ 3,7 milhões do Botafogo após polêmica

Nesta segunda-feira (1º), o empresário e dono da SAF do Botafogo, John Textor, voltou a causar polêmicas com suas declarações em relação ao Campeonato Brasileiro de 2023 e também de 2022. O São Paulo foi um dos alvos, já que o norte-americano afirmou que cinco jogadores do clube estiveram envolvidos em uma manipulação de resultados durante a goleada sofrida por 5 a 0 para o Palmeiras, no Allianz Parque.  O Tricolor prometeu tomar as ações cabíveis. 

Antes mesmo da polêmica, o SPFC havia acionado o clube carioca na Justiça cobrando cerca de R$ 3,7 milhões em relação a negociação pelo volante Tchê Tchê. A própria diretoria do Alvinegro confirma que a dívida existe. 

A compra dos direitos do jogador foi fechada em abril de 2022 por cerca de R$ 4,8 milhões. O Botafogo chegou a cumprir o esquema inicial e pagou as primeiras parcelas. Depois, houve uma redução na quantia por conta do empréstimo de Erison ao clube do MorumBis, em fevereiro de 2023.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

No acordo, outros vaores chegaram a ser descontados, como a contratação de Henrique Almeida, Tchê Tchê e Lucas Perri. As informações foram divuladas pelo jornalista Ancelmo Gois, do O Globo.

Botafogo sabe do débito e espera chegar a um acordo com o SPFC

Apesar disso, o Botafogo não pagou mais o Tricolor referente ao restante da transação de Tchê Tchê. O São Paulo entrou em contato com a diretoria carioca para tentar resolver de uma forma amigável, mas sem sucesso. O Botafogo emitiu um comunicdo ao portal Globo Esporte afirmando qie acredita em uma resolução com o clube paulista.

“A Justiça é um caminho usual para conciliar divergências existentes entre partes em um acordo. O Botafogo confia que vai chegar a bons termos com o São Paulo, um parceiro histórico do clube”, divulgou.