São Paulo cobra caro e negócio acaba melando

Desde que assumiu a presidência do São Paulo em 2021, Julio Casares vem adotando uma política de reforma no clube. Reeleito até o final de 2026, o mandatário visa valorizar ainda mais o clube para gerar receitas com patrocinadores.

Contudo, o departamento de marketing do clube passa por um momento instável. De acordo com informações divulgadas pelo jornalista Jorge Nicola, o São Paulo tinha negociações avançadas com patrocinadores que acabaram melando recentemente.

Uma delas estava praticamente encaminhada há cerca de duas semanas, mas acabou dando errado. Isso porque a empresa,que não teve o nome divulgado, pediu algumas condições a mais para o SPFC, que acabou negando. Desta forma, as conversas não foram retomadas e ambas as partes desistiram do negócio.

A segunda delas foi com o Mercadão Atacadista, que promete ser um nome forte na capital paulista nos próximos meses. A empresa estava negociando com o São Paulo e também com o Corinthians, segundo Nicola.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Contudo, o Tricolor acabou pedindo cerca de R$ 12 milhões para a marca estampar o espaço destinado no uniforme, montante considerado alto demais pela empresa, que acabou recuando e desistindo do acordo.

Casares visa embolsar ainda mais dinheiro com patrocínios

Como mencionado anteriormente, o presidente Julio Casares vem valorizando o preço dos patrocínios na camisa tricolor. O mandatário aproveitou o bom momento que o clube vive (recém coroado campeão da Copa do Brasil e Supercopa) para atrair novos parceiros comerciais. 

Logo, o Tricolor não deve fechar com qualquer marca, e sim com empresas que aceitem pagar valores aproximados que o clube vem pedindo. Isso é um dos motivos pelos quais o uniforme ainda não conta com todos os espaços de patrocínios preenchidos.