São Paulo assinou com jogador que meteu tricolor na Justiça

Visando montar uma equipe ainda mais competitiva para a temporada de 2024, o São Paulo se mostrou ativo no mercado da bola e concluiu a transferência do atacante Ferreira, que estava no Grêmio. O atleta assinou um vínculo longo com o time do Morumbi e deve ser peça importante ao longo do ano.

O que poucos sabem é que o jogador já viveu um processo judicial com o tricolor gaúcho há alguns anos. Na ocasião, optou por resolver a situação que vivia por meio de uma ação na Justiça, já que havia sido afastado do time em meio a problemas na renovação de contrato.  O caso ocorreu em 2020.

Na época, o jogador concedeu uma entrevista ao jornalista Jorge Nicola, e explicou de fato o que estava acontecendo entre ele e o Grêmio. Ele demonstrou gratidão pelo clube, mas confirmou que entrou com um processo.

“Conforme as coisas foram acontecendo, o clube decidiu me afastar, por uma pressão para assinar o contrato. Depois que fui na justiça que decidiram me colocar para jogar. Nunca foi minha vontade (de sair) porque é um clube que me identifico muito, sempre me ajudou. Eu botei o clube na justiça porque não teria como colocar os diretores. Conversavam uma coisa comigo e no contrato botavam outra”, disse, na época. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Ferreira viveu situação complicada com o Grêmio por conta de seu antigo contrato

As tratativas de renovação e contrato de Ferreira tiveram início nos primeiros meses de 2020, quando ele recebia cerca de R$ 20 mil mensais. Ele gostaria de uma valorização de seu contrato, algo que o Grêmio não estava disposto a oferecer.

“Desde janeiro a primeira oferta que eles fizeram foi de R$ 30 mil e passou umas quatro reuniões e o valor não subia. Mas a questão não era nem o salário. Era questão de contrato, percentual, luvas, que o clube não queria me pagar. Sendo que todo jogador que renova e vem da base para o profissional ganha luva. Eles acham que nós jogadores não conversamos”, desabafou, antes de finalizar:

“Foi uma pressão que eles fizeram. De um dia para o outro tinham que enviar a lista da Libertadores. Aí falaram “ou você renova ou está fora da lista”. Não tem como resolver sua vida em menos de 24 horas, sendo que tinham coisas que eu não estava de acordo”, disse.

O Grêmio acabou acertando a renovação do jogador no final das contas. Seu contrato era válido até o final de 2024, mas acabou concluindo sua transferência ao São Paulo recentemente.