Rogério Ceni pediu meio-campista no São Paulo

Imagem: globoesporte.globo.com

Ainda em 2015, o meia Maicon optou por sair do São Paulo em busca de novos desafios. O atleta acabou se transferindo para o Grêmio, clube no qual se tornou um ídolo da torcida e conquistou, dentre diversos títulos, a Libertadores da América.

Na época que defendeu o SPFC, Maicon era um dos jogadores mais criticados pela torcida. Ao pegar na bola, em muitas vezes era constantemente viado em pleno Morumbi, ou até mesmo no Pacaembu.

Em entrevista ao Charla Podcast, o agora ex-jogador comentou sobre essa passagem pelo Tricolor. Segundo ele, a decisão de assinar pelo clube foi fácil, por ser um gigante do Brasil e estar sempre disputando títulos. 

Mas ao mesmo tempo que existe o prestígio, havia uma grande pressão interna, já que o time não vivia a melhor fase. Vale lembrar que anos antes, o Tricolor conquistou o tricampeonato consecutivo do Campeonato Brasileiro.

Em meio às críticas que recebia das arquibancadas, Maicon ficou cada vez mais frustrado, e recebeu apoio dos companheiros no dia a dia no CT da Barra Funda, que percebiam a situação. Contudo, chegou a um ponto que o atleta não aguentou, e quis ser negociado.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Eu fiquei 2013, 2013 e 2014. Quando eu vi que o negócio estava meio direcionado. Po, os caras do time se amarravam na minha, Muricy foi meu paizão. Nem sempre você vai agradar todo mundo, você podia errar mas eu não tinha medo. Mas teve uma hora que achei que tinha que respirar novos ares e novos desafios. Confio em mim e no meu potencial”, disse.

Por sinal, Maicon revelou que o então goleiro e capitão da equipe, Rogério Ceni, o chamou para conversar e pediu para que ele ficasse. Nem as palavras da lenda ajudaram, e ele acabou se mudando para Porto Alegre.

“O próprio Rogério, que é um cara muito correto, de chegar e ver quem quer e quem não quer, via o dia a dia, foi até mim e disse para eu não ir embora. Eu disse: ‘Não tem como, Rogério‘”, lembrou Maicon.