Presidente do Inter responde a proposta do São Paulo

Por conta das enchentes no Rio Grande do Sul, o São Paulo,Flamengo e Palmeiras ofereceram suas instalações para as equipes gaúchas que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro, ou seja, Grêmio, Internacional e Juventude. Os presidentes dos clubes do eixo Rio-SP se reuniram na última terça-feira (7) para conversarem sobre o assunto.

O Tricolor disponibilizou o CT de Cotia e o Estádio do Morumbis, enquanto o Flamengo aceitou liberar o Ninho do Urubu, e o Palmeiras disse que os clubes poderiam utilizar a  Academia de Futebol, o Allianz Parque e a Arena Barueri. 

Além disso, SPFC, Flamengo e Palmeiras pediram à CBF que libere a Granja Comary, no Rio de Janeiro, como uma alternativa aos clubes gaúchos.Vale destacar que a entidade suspendeu e adiou as partidas dos times do Rio Grande do Sul nas divisões do futebol nacional e na Copa do Brasil

Alexandre Barcellos falou sobre a situação no RS

Diante de tudo isso, o presidente do Internacional, Alexandre Barcellos, disse, nesta quarta (8), que não sairá do estado. Ele criticou a decisão da CBF em não paralisar o Campeonato Braileiro por completo e agradeceu os clubes que disponibilizaram suas instalações.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

” Em torno dessa informação, de que os clubes estão dispondo as suas estruturas, a gente agradece. Mas a gente quer deixar muito claro isso. Nós não vamos abandonar o nosso povo nesse momento. Nós não vamos sair do Rio Grande do Sul e deixar as pessoas aqui sofrendo. Isso é fundamental nesse momento. Foi uma medida emergencial e que eu vejo insuficiente para o tamanho da tragédia que estamos vivendo. Sei que é difícil para quem não está aqui ter essa dimensão. ”, iniciou, antes de complementar:

” Às vezes, as pessoas podem pensar que foi uma região específica da cidade. Não. Foi o estado inteiro, cidades devastadas, Porto Alegre numa situação em que quase nenhum bairro não foi afetado, 85% da cidade sem água. Insuficiente esse tempo para pensar em futebol, inclusive. Uma medida inicial que tira parte do problema urgente, mas não resolve”, finalizou,  em entrevista ao “SporTV”.