Paulinho Bóia acaba vendido e fortuna milionária chega ao São Paulo

Recentemente, o São Paulo venceu uma ação na Fifa contra o Metalist, time da Ucrânia, que não pagou o Tricolor acerca da venda do atacante Paulinho Bóia, realizada ainda em 2021.  O atleta foi criado e formado nas categorias de base de Cotia, e era visto como alguém com potencial, muito por conta de suas característica dentro de campo, como a  velocidade e o drible. 

A maior entidade do futebol mundial decretou que o Metalist, após a correção de juros desde a época da compra, terá que desembolsar 620 mil euros (cerca de R$ 3,3 milhões na cotação atual) ao clube do MorumBis pela compra do jogador. O SPFC ainda não sabe o que irá fazer com o montante, mas visando a situação financeira atual (que não é das melhores), qualquer valor é bem-vindo nos cofres do clube.

Os ucranianos devem depositar o valor em até 45 dias para evitar qualquer problema com a Fifa. Neste caso, o clube pode acabar sofrendo um transfer ban, ou seja, será impedido de contratar e registrar novos, podendo culminar na perda de pontos no campeonato local.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Como dito antes, Paulinho foi revelado nas categorias de base do próprio SPFC, mas nunca despontou na equipe profissional. Foi emprestado para o Portimonense, de Portugal, São Bento e Juventude.  Subiu em 2020, a pedido de Fernando Diniz, e no total, atuou em 22 partidas, acumulando um gol marcado e uma assistência.

Depois de rodar por esses clubes, Bóia se firmou pelo Mirassol. Apesar de não ter sido titular absoluto nesta edição do Campeonato Paulista, obteve bastante minutos. Entrou em nove jogos, tendo marcado uma vez, diante do Guarani.