Patrick se manifesta e revela porque está mal no Santos

A carreira de Patrick tomou um rumo inesperado após sua saída do São Paulo, no começo do ano passado. O meia se tornou a principal contratação do Santos na temporada, custando  R$ 5,1 milhões, mas ainda não se adaptou. Em entrevista ao GE, o jogador tem noção do início complicado no time da Vila Belmiro, mas visa uma volta por cima.

“Não é hora de apontar o dedo, dizer quem está certo ou quem está errado. Tenho que assumir a minha responsabilidade. Vim para jogar no Santos e tenho ciência que posso dar mais. Vou seguir trabalhando, botar a minha cabeça no lugar e reagir para ontem”, disse, depois do empate sem gols contra o Mirassol,no estádio Jorge Maria de Campos Maia.

Patrick foi contratado junto ao Atlético-MG através de uma indicação do técnico Fábio Carille e também do diretor Alexandre Gallo. Entretanto, não vem integrando os onze titulares de maneira frequente, muito por conta da pouca minutagem que recebeu no clube anterior.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Talvez a minha situação seja um pouco mais de ritmo, uma sequência. Preciso recuperar a confiança, mas a questão física do jeito que falam aí fora eu não seria profissional, não estaria jogando futebol, fazendo o que sempre fiz e do jeito que sempre fiz. Acho que ano passado, quando o Felipão chegou (ao Atlético-MG), perdi um pouco da minutagem que eu tinha. Praticamente despencou. Depois tive uma lesão antes de chegar ao Santos, isso requer um pouco de ritmo”, continuou.

O meia atuou em 43 jogos pelo Atlético na temporada passada, somando um gol e duas assistências. Entretanto, perdeu espaço depois da contratação de Felipão, e não conseguiu sequer jogar por mais de 45 minutos em mais de uma partida. Pelo Santos, entrou em campo em sete oportunidades, todas vindo do banco.

“Desde a época do Felipão não tive sequência, não tive ritmo e preciso retomar a confiança. Vou seguir trabalhando, me dedicando. Quando tiver a oportunidade, vou buscar isso. Contra o Novorizontino dei uma assistência, mas o time perdeu. Vou continuar trabalhando e quando tiver a oportunidade espero tentar ajudar para que o Santos consiga a vitória”, finalizou.