Palmeiras vai recorrer dá punição do São Paulo pelo Choque-Rei?

Depois da polêmica envolvendo o clássico entre São Paulo e Palmeiras, o TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) realizou um acordo com o Tricolor, que terá que pagar R$ 205 mil no total de multas.

O Alviverde não teve participação nas conversas entre as partes, e sequer soube do andamento do acordo. Diante disso, o clube  não tem o poder de pedir a anulação do pacto assinado.

A partir desta terça-feira (12), o São Paulo tem cinco dias para efetuar o pagamento citado anteriormente. De acordo com o TJD, Antonio Olim, o montante será depositado diretamente nas contas da Federação Paulista de Futebol.

Diversos profissionais do São Paulo foram denunciados pela procuradoria do TJD, como os atletas Rafinha,a Wellington Rato e Calleri, o auxiliar técnico Estéphano Kiremitdjian Neto, o presidente Julio Casares, o diretor de futebol Carlos Belmonte e o adjunto Fernando Bracalle Ambrogi, conhecido como Chapecó. 

Todos acabaram indo ao vestiário da equipe de arbitragem responsável pelo clássico ocorrido no último dia 3, no MorumBi. Acabaram reclamando em um tom mais alto, além de ofensas ao árbitro Matheus Delgado Candançan e seus assistentes.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Quais seriam as punições caso o acordo não tivesse sido feito?

Os jogadores poderiam ser punidos por até seis partidas. A previsão inicial é que Calleri pegasse o gancho de quatro duelos, ou seja, estaria fora do restante do Campeonato Paulista. Isso porque ele estava suspenso no clássico, e não poderia estar na área dos vestiários. Por outro lado, Rato e Rafinha iriam receber uma pena de dois jogos, segundo a previsão do departamento jurídico do SPFC.

Por outro lado, Julio Casares e Chapecó poderiam ficar até 180 dias afastados. O caso mais complicado é o de Carlos Belmonte, que ofendeu o técnico Abel Ferreira de “português de m***”. Poderia pegar um gancho de 270 dias.