Pai de Rubens Barrichello foi goleiro do São Paulo

Quarto piloto com mais GP’s na história da Fórmula 1, com incríveis 326 corridas entre 1993 e 2011, Rubens Barrichello marcou presença no 1119º episódio do Inteligência Ltda. Podcast. atração comandada pelo comediante e quadrinhista Rogério Vilela. Entre tantos assuntos, o ex-piloto da Ferrari revelou uma curiosa relação com o São Paulo.

Torcedor declarado do rival Corinthians, Rubinho revelou que seu pai, o “Rubão”, chegou a atuar pelos juvenis do São Paulo: “Meu pai era goleiro semiprofissional, ele catou pelo juvenil do São Paulo, depois pelo Interlagos, ele era um cara muito ativo”. Logo depois, falou sobre sua relação com o futebol e de como era “ruim” no esporte.

“O campo me remetia uma energia muito forte, as pessoas torcendo pelo mesmo time, tudo bem que ali aprendia palavrão, essas coisas de xingar juiz, mas o fato é que ali tinha energia. Eu era ruim pra cac***, eu tive meus dias de glória, de futebol e tal, mas eu era bem ruim”, disse.

Sem sucesso nos gramados, Rubinho fez carreira dentro das pistas. Ainda no kart, foi pentacampeão brasileiro. Logo depois, atuou por F-Ford, Fórmula Opel, Fórmula 3 inglesa e Fórmula 3000 antes de ser contratado pela equipe Jordan para iniciar sua caminhada dentro da Fórmula 1 no ano de 1993.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Rubinho GP Italia 2009
Barrichello acelera carro da Brawn GP para vencer o GP da Itália de 2009, em Monza — Foto: Getty Images

Rubinho ainda guiaria carros da Stewart, da Ferrari, da Honda, da Brown GP e da Williams. Na categoria, o piloto somou 11 vitórias, 14 poles e 68 pódios, além de dois vice-campeonatos mundiais. Ele ainda é o último brasileiro a subir no ponto mais alto do pódio depois de vencer o GP da Itália de 2009 com a Brown GP.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.