Nova profissão de Mineiro após a aposentadoria é de bater palmas

Autor do gol do título do Mundial de Clubes de 2005 em cima do Liverpool, da Inglaterra, o ex-volante Mineiro entrou para sempre no coração de todos os torcedores tricolores do Brasil e do mundo.

O ex-atleta vive atualmente em Melbourne, na Austrália, e deixou o país há 14 anos. Atualmente, trabalha como treinador de futebol feminino. Também já viveu na Alemanha, Inglaterra e agora, Austrália. 

Há cerca de 10 anos, Mineiro recebeu convites para começar um novo projeto, as chamadas clínicas de futebol. Lá, ele se reúne a outros ex-jogadores e imigrantes em escolas e igrejas. Apesar disso, o futebol ainda não é o esporte mais popular da Austrália, e ele procura justamente fazer parte dessa popularização do mesmo.

“Desde 2012, 2013, tivemos convites para vir fazer uma clínica de futebol junto às comunidades, imigrantes, em escolas e igrejas, com outros ex-atletas. Vínhamos, ficávamos dez dias e voltávamos. Destas idas e vindas, surgiu o convite para vir e se estabilizar, montar uma academia de futebol para que os australianos possam ter mais interesse. O esporte aqui é muito bem-sucedido, só que não está entre os mais populares. A ideia é que seja mais expandido. Além de criar oportunidades, seja uma ferramenta de socialização para o australiano”, disse, em entrevista ao UOL.

Junto às clínicas do esporte, Mineiro também se tornou treinador de futebol felinino, mesmo não sendo que almejava. Segundo ele, a profissão é para estar inserido no futebol, mas ele não quer que se torne algo mais profissional, uma vez que teria que abdicar de sua relação com sua família.

“Além desses projetos, estou treinando um clube de futebol feminino, no que seria equivalente acho que à terceira divisão no Brasil. Em 2010, 2011, fiz a licença C, na Alemanha, mas a ideia era só poder estar no meio, nunca almejei ser treinador, estar envolvido em algo mais sério, onde tenha de abrir mão de algumas outras prioridades, que, para mim, é a família. Quando se é treinador em alto rendimento, você tem, praticamente, a carreira de um atleta novamente”, comentou o ex-são-paulino.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Mineiro fala sobre racismo na Europa

Nos últimos anos, principalmente em confrontos contra equipes sul-americanas, os brasileiros vem sofrendo com ataques diretos de racismo. Na última semana, um dirigente e um torcedor do San Lorenzo foram presos após praticarem atos desta natureza no Morumbi. 

Mineiro atuou em clubes alemães e também na Inglaterra. Segundo ele, os cidadãos do Velho Continente são menos racistas que os brasileiro, baseado em sua experiência de vida nos países.

“Na Inglaterra, não lembro de caso algum. Na Alemanha era uma das coisas que me deixava preocupado. O alemão, o europeu, na verdade, não se preocupa muito, de um modo geral, em relação à raça, vamos dizer que em termos sociais, ou outras coisas assim. Eles não ficam medindo as pessoas com o que está vestindo, o que que está usando”, comentou, antes de concluir:

“ Percebi muito mais no Brasil essa diferenciação. A pessoa te medindo pelo que você está vestindo, que carro você está, que relógio está usando, do que propriamente na Europa. Nesse contexto geral, acho que é muito mais latente no Brasil, infelizmente, do que na Europa”, finaliza Mineiro.