Neto se antecipa e crava o placar da Supercopa do Brasil

Depois de vencer o Corinthians e quebrar o tabu na Neo Química Arena, o São Paulo se prepara para seu próximo clássico. Neste domingo (4), a partir das 16h, no Mineirão, o Tricolor enfrenta o Palmeiras pela Supercopa do Brasil, torneio de final única disputado entre o vencedor do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil.

O duelo vem sendo muito antecipado tanto pelos torcedores de ambos os clubes quanto pelos comentaristas esportivos. O Choque-Rei foi motivo de pauta durante o programa “Os Donos da Bola”, da TV Bandeirantes.

Na ocasião, o ex-jogador e atual apresentador Neto revelou que está torcendo para o SPFC. Na sua visão, a equipe comandada pelo técnico Thiago Carpini está organizada mesmo após a saída de Dorival Júnior, e acredita na chance de levantar a taça.

“O time do São Paulo está entrosadinho e ganha do Palmeiras. Pra mim, vai ganhar. E outra coisa, se perder o jogo para o Palmeiras não tem problema nenhum. Eu vou torcer para ganhar de 1 a 0 e é só torcida e eu gosto do São Paulo”, disse o apresentador.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Velloso, ex-goleiro do Palmeiras e comentarista do programa, também rasgou elogios a Carpini, que está invicto no comando do Tricolor: venceu três e empatou um do total de quatro partidas. Segundo ele, a idade não importa quando se há ideias de jogo. Vale lembrar que o treinador do SPFC tem 39 anos.

“Eu acho que esses questionamentos da idade são uma grande bobagem, o que importa é como ele conduz o grupo e ele já mostrou que faz isso muito bem. O Carpini está demonstrando que ele tem uma capacidade de gerir o elenco que é independente da idade. Boa gestão e resultados. Tem que esquecer essa bobagem de idade”, comentou.

Velloso fala de James Rodríguez

Por fim, o ex-goleiro falou sobre a situação de James Rodríguez, que estava realizando trabalhos de carga visando melhorar sua forma física. Na opinião de Velloso, Caprini tem o “pulso firme” necessário para fazer escolhas como a de deixar o colombinao no banco.

“Muitos treinadores poderiam ceder a uma pressão do James Rodríguez. É um cara de Copa do Mundo, artilheiro, pressionou pra jogar”, comentou Velloso, em referência a situação de James no clube.