Muricy Ramalho solta quentinha sobre Arboleda

Peça fundamental no time do São Paulo, o zagueiro Arboleda preocupou os tricolores logo no início da pré-temporada. Diante da não confirmação sobre seu futuro, os torcedores temem uma possível saída.

Logo no primeiro dia de representação após as férias, o equatoriano não esteve presente no CT da Barra Funda, colocando dúvidas sobre sua situação no clube. Contudo, Muricy Ramalho tratou de explicar sobre a situação.

Segundo ele, Arboleda avisou a diretoria da comissão que não iria conseguir chegar a tempo no Brasil. Na época, foi noticiado que seu empresário havia dito que ele não treinaria no dia por conta da baixa proposta de contrato que lhe foi oferecida dias antes.

O primeiro deles foi a ausência de Arboleda na primeira reapresentação do time. Mas tudo isso foi explicado pelo próprio Muricy: o zagueiro ainda estava fora do país, de férias em seu país natal, e só conseguiria chegar nos dias seguintes ao primeiro treino do São Paulo.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“A gente tinha entendido que ia voltar dia 8 (de janeiro). Porque voltar no sábado não era legal pela questão de viagem, todo mundo mora longe. Só que, no meio da semana mudou para dia 6. Mas ele (Arboleda) já tinha programado a viagem dele, e ele mora num lugar que não é tão fácil no Equador. Ele não é de Quito. Tem que pegar barco, num sei o que lá”, disse Muricy.

Situação contratual de Arboleda

Além disso, o jornalista Jorge Nicola noticiou que o Corinthians estaria interessado no jogador,e já havia entrado em contato com o zagueiro. Vale lembrar que seu contrato encerra em dezembro, e ele pode assinar um pré-acordo a partir de julho. Muricy fez questão de desmentir qualquer interesse de outro time. 

“E aí ele demorou dois dias para se reapresentar, como a gente tinha combinado com ele. Ele é um cara de palavra, um profissional exemplar. Mas não teve interesse (de outros clubes), pelo menos não chegou pra gente”, complementou Muricy, em entrevista recente a CNN.