Muricy Ramalho abre o jogo e manda a REAL envolvendo Arboleda

Um assunto que virou manchete no noticiário do tricolor paulista nas últimas semanas, foi sobre a situação do zagueiro Arboleda. Além disso, o torcedor vive a expectativa em relação a James Rodríguez, sobre o que esperar do colombiano em 2024. Essas questões foram faladas pelo coordenador de futebol, Muricy Ramalho, e o torcedor ficou de olho.

Muricy foi um dos convidados do programa “Domingol” do jornalista Benjamin Back, no canal CNN. Uma das perguntas dirigidas ao profissional do São Paulo foi sobre o atraso na volta do zagueiro Arboleda à equipe. Esse incidente gerou especulações acerca de uma eventual saída, com o Corinthians sendo mencionado como um possível destino.

O coordenador de futebol acabou com qualquer mal-entendido ao explicar a situação, destacando o profissionalismo exemplar do zagueiro equatoriano.

A gente tinha entendido que ia voltar dia 8 (de janeiro). Porque voltar no sábado não era legal pela questão de viagem, todo mundo mora longe. Só que, no meio da seman,a mudou para dia 6. Mas ele (Arboleda) já tinha programado a viagem dele, e ele mora num lugar que não é tão fácil no Equador. Ele não é de Quito. Tem que pegar barco, num sei o que lá. E aí ele demorou dois dias para se reapresentar, como a gente tinha combinado com ele. Ele é um cara de palavra, um profissional exemplar. Mas não teve interesse (de outros clubes), pelo menos não chegou pra gente – disse Muricy Ramalho

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Muricy também falou sobre James Rodríguez

Muricy Ramalho destacou novamente a qualidade de James Rodríguez e expressou otimismo ao prever que o ano de 2024 será mais promissor para o talentoso meio-campista colombiano. Ele ressaltou que James tem se destacado nos treinamentos durante a pré-temporada.

O coordenador também abordou as comparações entre o desempenho de James na seleção colombiana e no clube. Muricy explicou: “Na Colômbia, ele se destaca porque está completamente adaptado, o treinador constrói uma equipe em torno dele. No São Paulo, não é possível fazer isso, pois temos jogadores na mesma posição que são igualmente excelentes.”