Messi leva golpe violento e por sorte não termina com a perna quebrada nos Estados Unidos

Aos 36 anos de idade, Lionel Messi recebeu, possivelmente, a entrada mais forte em toda a sua carreira. Por sinal, poderia ter sido uma lesão gravíssima caso o pior tivesse acontecido com o jogador argentino.

Na noite desta quinta-feira (7), o Inter Miami empatou em 2 a 2 com o  Nashville SC, pela Concachampions (a Liga dos Campeões da Concacaf), graças aos gols marcados por Messi e Luis Suárez, voltando a marcar gols juntos desde a época em que defenderam o Barcelona.

 Em um determinado momento do jogo, o canadense Lukas MacNaughton deu uma solada forte na canela do argento perto da linha lateral. Imediatamente, Messi caiu no chão aparentando estar com muitas dores. As imagens chocaram os internautas nas redes sociais. No momento da falta, o árbitro mexicano Marco Antonio Ortiz sequer puniu o canadense, apesar das reclamações de Messi e de todo o time da Florida.

Depois da falta, MacNaughton foi falar com o astro argentino para pedir desculpas, mas o atacante não quis saber de conversa. Depois do duelo, o técnico Tata Martino disse que Messi não sentiu nada de estranho nos vestiários, então, por hora, uma lesão está descartada. 

“Leo terminou o jogo bem, apenas cansado e com uma fadiga nos músculos posteriores das coxas, que é normal em partidas assim. Recebem massagem no vestiário e está tudo bem – disse o treinador na coletiva após a partida”, comentou.

Messi pode jogar as Olimpíadas pela Argentina

Ao contrário do Brasil, a Argentina se classificou para os Jogos Olímpicos de Paris deste ano. Ex-jogador e atual treinador do time sub-23, Javier Mascherano sonha no tricampeonato. Para isso, chegou a fazer um convite para Messi atuar na equipe. Todavia, a tarefa não será fácil, já que cerca de um mês depois, terá que jogar a Copa América.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Falei com o Leo e fiz o convite para nos acompanhar nos Jogos. Ficamos de nos falar novamente, a temporada (dos EUA) mal começou. Ainda falta tempo para os Jogos, e sabemos que ele também tem a Copa América. Não é uma situação fácil. Vamos voltar a falar depois, para que ele também possa ir pensando, se terá a oportunidade e a energia para estar lá, sabemos que não é fácil, mas obviamente o convite foi feito”, disse, em entrevista ao programa Libero, do canal argentino TyC Sports.