Luciano revela que teve que comprar briga para ficar no São Paulo

Considerado um ídolo recente da torcida, o carinho pelo atacante Luciano é ouvido desde a arquibancada do Morumbis, que ecoam seu nome a plenos pulmões durante as partidas. O jogador retribuiu dentro de campo, seja com gols, assistências, ou mesmo dando tudo de si durante os 90 minutos.

O atleta chegou ao clube em 2020 após indicação de Fernando Diniz. Foi envolvido em uma troca pelo meia-atacante Everton, que foi jogar no Grêmio. Na época, a contratação chegou a ser questionada pela torcida, já que ele já havia vestido a camisa do Corinthians.

Luciano provou ser um dos melhores atacantes em atividade no futebol brasileiro nos últimos anos. Na temporada passada, teve participação fundamental na conquista da Copa do Brasil.

Antes mesmo do título, ele havia declinado uma oferta de um clube árabe, visando entrar na história do Tricolor. Após o final da temporada, foi procurado mais uma vez por times do Oriente Médio. 

Luciano recusou o futebol árabe para fazer história no SPFC

Novamente, ele recusou a aproximação para ficar no Morumbis, estendendo seu contrato até o final de 2026. Em entrevista após a conquista da Supercopa do Brasil em cima do Palmeiras, no último domingo (4), no Mineirão, ele revelou que seu empresário chegou a ficar bravo com a decisão de ficar.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Meu empresário que o diga, ele ficou bravo comigo. Mas falei que ia ficar e ia conquistar.  Mas eu falei que ia ficar e conquistar, graças a Deus conquistei esses dois títulos (Copa do Brasil e Supercopa) em menos de cinco meses e tô muito feliz. Agora, é seguir trabalhando, com os meus companheiros e pé no chão”, disse.

Luciano foi o artilheiro do São Paulo na temporada passada com 15 gols marcados, um a mais do que Jonathan Calleri. Além disso, foi o vice-líder em assistências, com oito, uma a menos do que Wellington Rato.