Kaká teve nobre atitude e resolveu “doar” milhões ao São Paulo

Kaká foi uma das maiores revelações da história do São Paulo. Surgiu ainda muito novo nas categorias de base de Cotia, e acabou alcançando o topo do mundo sendo campeão mundial pela Seleção Brasileira, em 2002, além de ter vencido a Liga dos Campeões com o Milan.

O ex-meia, por sinal, é o último brasileiro a ganhar o prêmio da Bola de Ouro da Fifa, em 2007, dado ao melhor jogador da temporada. Ele desbancou nada mais nada menos do que Cristiano Ronaldo e Lionel Messi.

Kaká sempre mostrou muita gratidão ao São Paulo, exemplo disso foi sua volta em 2014 par atuar no segundo semestre, que quase culminou no título brasileiro. Todavia, seu amor pelo clube vem de antes.

Na sua venda para o Milan, ele abriu mão de 15% do que tinha direito para s transferir ao clube italiano. Isto porque ele poderia sair de graça em alguns meses, não deixando nenhuma fatia ao Tricolor. No total, deixou de ganhar 1,3 milhão de dólares.

O preço fixado na transferência foi de 6,5 milhões de dólares, e o resto é história. O brasileiro se tornou um dos principais ídolos da história do Milan, além de ter jogado três Copas do Mundo com a Seleção Brasileira, vencendo em 2002. Também se consagrou campeão da Copa América e Copa das Confederações.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Kaká cumpriu promessa pelo amor ao clube

Antes de sua saída para o Milan, Kaká deixou claro seu carinho pelo Tricolor, dizendo que pretendia jogar novamente no clube no futuro, algo que se concretizou pouco menos de 15 anos mais tarde.

“Tenho um amor muito grande pelo clube. É apenas um até logo, pois pretendo voltar a jogar aqui”, disse.

O então agente do atleta na época, Wagner Ribeiro, também deixou de ganhar 10% do valor da transferência, algo normal em transações internacionais. “Foi um acordo direto entre São Paulo e Milan, sem intermediários”, revelou João Paulo de Jesus Lopes, então dirigente do SPFC.