Justiça mandou o São Paulo pagar R$ 3 milhões a olheiro por venda de jogador

Mesmo longo do São Paulo desde julho de 2022, o meia Gabriel Sara, de 24 anos, continua sendo assunto nos bastidores do clube. Isto porque a Justiça de São Paulo condenou o Tricolor a pagar R$ 3 milhões a Orlando Gonçalves, olheiro que garimpa jogadores de futebol e responsável pela chegada de Sara à Cotia em 2013.

Alçado aos profissionais na temporada de 2017, o meia rapidamente se tornou peça importante no elenco são-paulino e fez parte do grupo que conquistou o Campeonato Paulista de 2021. Em destaque, Sara chamou a atenção do Norwich e o clube inglês não se importou em pagar cerca de R$ 56 milhões para tirá-lo do Morumbi.

Foi então que a briga judicial entre São Paulo e Orlando Gonçalves se iniciou. Alegando ter direito a 5% da negociação, o olheiro acionou a Justiça cobrando a comissão no acordo fechado entre os clubes. A ação tinha, então, R$ 2,815 milhões em jogo. Valor este que foi corrigido e que já chega a casa dos R$ 3 milhões.

No início do mês, a 31ª Vara Cível de São Paulo deu decisão favorável ao olheiro alegando que houve omissão do Tricolor na apresentação de provas e documentos ao processo, o que pesou contra sua defesa. Juiz do caso, Rodrigo Tellini de Aguirre Camargo deu razão as reclamações de Orlando Gonçalves.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“A omissão deliberada do SPFC em elucidar os exatos termos da contratação do atleta no ano de 2013 labora em seu desfavor. Diante deste cenário, estou convencido de que houve de fato a negociação entre o autor e o clube em que convencionaram o pagamento do percentual de 5% sobre o valor auferido”, disse o magistrado.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.