Júnior Tavares cobra dinheiro de clube para fazer cirurgia na cabeça

Revelado nas categorias de base do São Paulo, o lateral-esquerdo Júnior Tavares foi internado na UTI na última quarta-feira (13), em decorrência de formigamentos no braço. Ele foi diagnosticado com um tumor no cérebro.

O atleta, que defende a Ponte Preta, necessita realizar o procedimento cirúrgico o mais rápido possível. Ele concedeu uma entrevista ao jornalista Jorge Nicola, revelando que a Ponte não só está negando suporte financeiro, mas que estaria adiando a cirurgia de maneira proposital.

“A verdade é que o Eberlin e a Ponte sabiam da necessidade da cirurgia em caráter emergencial desde 23 de junho”, afirma o lateral, referindo-se ao presidente da Macaca. “Mas não sei por quais motivos a gente já está em setembro e até agora a cirurgia não foi realizada”, disse.

A intervenção cirúrgica já foi marcada em duas oportunidades, mas acabou sendo cancelada. Como se não bastasse, o clube deve três meses de salários atrasados ao jogador, que pediu que o pagamento fosse realizado para ele mesmo desembolsar os valores para tratar o tumor.

De acordo com Júnior, a Ponte Preta também não pagou os valores que superaram os R$ 12 mil relativos à internação no hospital da PUC, em Campinas, que durou entre quarta e quinta. Tudo foi pago por ele, sua mãe e um amigo.

Precisou tirar de seu bolso, já que seu plano de saúde foi cancelado devido a falta de pagamento da Ponte Preta. Vale destacar que ele já recebeu alta, e está marcando o procedimento da retirada do tumor, em São Paulo, como divulgado por Jorge Nicola.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Posicionamento da Ponte Preta

Nicola entrou em contato com o clube de Campinas, que disse que as cirurgias não aconteceram pois o jogador não quis contar o problema de saúde para todos, incluindo sua mãe. Além disso, a diretoria revelou que só tem um mês de salários atrasados, e que antecipou outro mês a pedido do jogador.

“ Para completar, o clube entende que não tem obrigação sobre o caso, por se tratar de uma doença preexistente, mas está disposto a dar assistência a Júnior Tavares, completou Jorge Nicola.