Julio Casares cansa de ficar quieto e se pronuncia sobre negócio de Caio Paulista

A presidente Leila Pereira, da SE Palmeiras, apresenta o jogador Caio Paulista (D), mais novo atleta do clube, na Academia de Futebol. (Foto: Cesar Greco/Palmeiras/by Canon)

Os últimos dias de 2023 prepararam uma surpresa nada agradável para o torcedor do São Paulo. Após um ano atuando com as cores do clube e conquistando o inédito título da Copa do Brasil, o lateral-esquerdo Caio Paulista surpreendeu ao não renovar seu contrato e preferir fechar com o arquirrival Palmeiras para 2024.

Antes xodó de boa parte dos são-paulinos, o jogador de 25 anos tornou-se “persona non grata” no Morumbi. Para atravessar a negociação com o São Paulo e contratar Caio junto ao Fluminense, o Palmeiras topou pagar 3,8 milhões de dólares (cerca de R$ 18,3 milhões). Mas, segundo o presidente Julio Casares, não houve “chapéu” no negócio.

Em entrevista ao canal Benja Me Mucho, do jornalista Benjamin Back, o mandatário afirmou que o Tricolor saiu da negociação assim que soube que o jogador tinha conversas com o rival: “Em um determinado momento, nós descobrimos que ele estava conversando com um arquirrival. Neste momento, o São Paulo se retirou”.

Casares ainda completou: “Essa coisa de ‘pulou o muro, tomou chapéu’, não. Foi uma decisão dele. Claro que eu não tomaria essa decisão, porque ele foi feliz no São Paulo. Ele era um jogador do Fluminense que estava infeliz e ficou feliz no São Paulo, mas é uma questão profissional. É página virada, é nosso adversário hoje”.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

O presidente ainda revelou que recebeu uma ligação de Leila Pereira, mandatária do Palmeiras, após o término da novela: “A Leila depois me ligou, tenho uma relação extraordinária com ela. Ela disse que ele ficou no mercado, sem problema algum nesse sentido. Vejo as coisas com naturalidade, ninguém é maior que o São Paulo”.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.