Jorge Sampaoli quase treinou a Seleção Brasileira e precisou ser barrado

Ex-goleiro do São Paulo e coordenador-geral de seleções entre 2015 e 2016 da CBF, Gilmar Rinaldi revelou, em entrevista ao “Benja me Mucho”, de Benjamin Back, no Youtube, que o técnico Jorge Sampaoli chegou a ser cotado para assumir o comando da Seleção Brasileira. Contudo, o ex-atleta acabou vetando.

Gilmar relembrou que durante as eliminatórias sul-americana para a Copa do Mundo de 2018, a fase da Amarelinha não estava boa antes de Tite. O treinador na época era Dunga, que estava em sua passagem após a demissão em 2010.

Ainda durante as eliminatórias, o Brasil tinha empatado em 2 a 2 contra o Paraguai, e acabou ficando de fora da zona de classificação ao Mundial, algo que jamais aconteceu na história da Seleção Brasileira.

O tropeço acabou pressionando ainda mais o então presidente da CBF, Marco Polo Del Nero. ELe havia telefonado para Gilmar para falar sobre um possível sucessor de Dunga, e dentre os nomes estava Jorge Sampaoli. Na época, o ex-goleiro era contra a demissão de Dunga.

“Eu falei para ele: ‘no momento, eu acho que dá, mas se o senhor está tão pressionado, eu posso concordar com a mudança, mas jamais o Sampaoli. Se o senhor quer colocar alguém, coloca o Tite. Senão nós vamos apanhar mais dois anos e não vamos conseguir trabalhar. Depois disso, eu fiquei sabendo que o Sampaoli estava na casa do Neymar pai, em Barcelona, dentro da casa dele. . Aí que eu falei para o presidente: ‘De jeito nenhum, esse cara não pode ser nosso treinador’”, disse Gilmar.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Depois da conversa, Dunga foi mantido no cargo por mais três meses até ser demitido. Tite, que estava no Corinthians, foi anunciado seis dias depois, e ficou no cargo até o final de dezembro. Disputou duas Copas do Mundo, caindo nas quartas de final em ambas. Venceu a Copa América de 2019.

“Eu contei essa história para o Tite…falei para ele: ‘Quando eu falei o seu nome na reunião, uma pessoa (Del Nero) do meu lado disse: ‘Não, esse nome nem pensar. Vamos ficar um pouco mais com o Dunga. Aí eu e o Dunga saímos e entrou o Tite…”, finalizou.