Jogadores são presos depois de São Paulo x Talleres

Divulgação/Portal do São Paulino

Na última quarta-feira (29), o São Paulo venceu o Talleres por 2 a 0, no Morimbis, e se classificou para as oitavas de final da Libertadores como líder do grupo. O duelo contou com confusão e o meia Juan Portilla e o goleiro  Lautaro Morales, ambos do time adversário, acabaram detidos e foram multados em R$ 20 mil por desacato.

Segundo o delegado César Saad, da Delegacia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (Drade), os atletas foram levados à sala dos Juizados Especiais Criminais (Jecrim), ainda dentro do estádio. 

Tudo começou ainda no primeiro tempo, quando Luciano acertou o pé de  Ramón Sosa dentro da área. Os argentinos pediram a marcação de pênalti, que não foi dada pelo árbitro Jhon Ospina. Após o fim da primeira etapa, o goleiro titular, Guido Herrera, reclamou com os árbitros e foi atingido pelo escudo de um dos policiais, causando revolta nos demais jogadores do Talleres.

“No intervalo da partida, houve o início de uma confusão em razão da não marcação de um pênalti para a equipe do Talleres e os atletas foram reclamar com a arbitragem. Como ocorre sempre aqui, no Brasil, a Polícia Militar fez uma proteção para o árbitro. Vocês notam que o árbitro foi um pouco para trás, os policiais fizeram a barreira com os escudos e o goleiro passou a reclamar que o escudo teria encostado nele”, contou o delegado.

 César disse que o clima não ficou somente dentro das quatro linhas, e houve um princípio de confusão no túnel de acesso ao campo.”As equipes foram para o vestiário, desceram no túnel, houve um pouco mais de discussão. Mas até então tudo tranquilo, coisas do futebol, da partida que ainda não tinha se decidida”, explicou.

O duelo continuou a todo o vapor na segunda etapa. O São Paulo ampliou o placar nos minutos finais, graças a um golaço de Luciano. Nos acréscimos, houve mais confusão entre os jogadores. Foi aí que o goleiro reserva, Lautaro Morales, se dirigiu a um dos policiais com xingamentos.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Logo após o apito final do árbitro, o goleiro reserva (Morales) passou pelo trio de policiais militares que fazia a escolta da arbitragem, os mesmos que haviam estado ali no meio do campo no intervalo, passou e proferiu xingamentos a eles. Isso foi testemunhado por vários outros policiais e pessoas que estavam no campo. E no túnel de acesso aos vestiários, um outro atleta (Portilla) passou e xingou também os policiais na frente de outras pessoas”, disse Saad.

Portilla e Morales foram detidos e prestaram depoimento ainda no Morumbis. Acabaram sendo liberados depois de pagarem uma multa de R$ 10 mil cada um. Segundo o delegado, o montante será dado para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul.