Jogadores do São Paulo podem ter sofrido golpe milionário

Na última terça-feira (28), a Polícia Federal iniciou uma operação para investigar uma fraude nos saques do  Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) de atletas profissionais de futebol. Isso porque o atacante Paolo Guerrero, peruano que acumula passagens por Corinthians, Flamengo e Internacional, sofreu um golpe de R$ 2,3 milhões em 2022.

Guerrero tomou um golpe no valor citado e descobriu no final de 2021. Na ocasião, ele foi sacar o dinheiro da rescisão de contrato com o Inter e foi surpreendido que o montante já havia sido sacado por outra pessoa. No caso, o indivíduo se passou pelo empresário do jogador com documentos falsificados. 

De acordo com informações divulgadas pelo G1, o criminoso desviou o valor para uma conta falsa do peruano em um banco, e depois fez transferências para outras contas. As autoridades conseguiram bloquear parte do montante. Posteriormente, a  Caixa Econômica Federal (administradora do FGTS) fez a devolutiva do valor ao atleta.

A Polícia Federal cumpriu seis mandados de busca e apreensão na quadrilha, que por sinal, está na ativa há uma década. Duas pessoas que possivelmente estão envolvidas já haviam sido investigadas entre 2015 e 2017. Por sinal, os golpistas já haviam trabalhado como agentes de futebol anteriormente. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Além disso, a PF afirma que os funcionários da Caixa não tiveram participação no golpe, mas que deveriam ter checado as informações antes de liberarem o saque. Os envolvidos serão enquadrados nos crimes de  estelionato, falsificação de documento público, uso de documento falso e associação criminosa. Podem pegar até 20 anos de cadeia.