Jogador revela que foi pra cima de Denílson Show com uma faca

Nascido em Campina Grande e com passagens pelo São Paulo, o ex-meia Marcelinho Paraíba esteve presente em um evento de X1, modalidade de society, em Recife, onde falou com o Globo Esporte sobre alguns episódios marcantes de sua carreira dentro das quatro linhas.

O que mais chamou a atenção da torcida foi o caso envolvendo o também ex-jogador Denílson. Marcelinho admitiu que já puxou uma faca para o atual comentarista da Bandeirantes. Ambos jogaram juntos no SPFC e na Seleção Brasileira, e apesar do episódio, o ex-meia diz que Denílson é o maior mala com quem já jogou, mas disse que é um “mala do bem”, muito por conta do apelido de  “farinha” (por ele ser nordestino).

“Ele já vinha me irritando há algum tempo, já estava chateado, aí na hora eu levantei com a faca na mão. Foi o melhor remédio que daí para frente ele não brincou mais”, revelou Marcelinho Paraíba.

O ex-meia pendurou as chuteiras em 2020, e atualmente, com 48 anos, decidiu se tornar treinador. Seu último clube foi o Baraúnas, mas ele pode voltar a beira dos gramados em breve, já que ele está “vendo algumas propostas”.

Marcelinho Paraíba se declara ao SPFC e fala sobre Ronaldinho Gaúcho

Questionado sobre qual foi o melhor jogador com quem atuou em sua carreira, Marcelinho Paraíba não hesitou e falou de Ronaldinho Gaúcho, que segundo ele “é diferente de tudo o que já viu”.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Ronaldinho Gaúcho. É diferente de tudo que eu já vi no futebol. Um cara muito técnico, que tem uma visão de jogo fora do sério. Outro jogador que poderia chegar perto dele era o Messi, mas não jogou comigo, então para mim foi o Ronaldinho Gaúcho”, disse.

Além disso, o ex-meia comentou sobre alguns clubes que guarda em seu coração até os dias de hoje, citando o São Paulo como um deles:”Eu vou citar três, porque realmente é o que eu sinto, é o que eu sempre por onde eu passo, eu gosto de falar. O São Paulo, o primeiro, porque foram quatro anos da minha passagem lá; depois, Grêmio e o Sport”, finalizou.