James Rodríguez irrita jogadores do São Paulo

James Rodríguez foi contratado pelo São Paulo no final de julho do ano passado, e até agora, não conseguiu se firmar na equipe, mesmo sob o comando de três técnicos diferentes (Dorival Júnior, Thiago Carpini e Luis Zubeldía). O que impressiona é que, ao contrário de seu cotidiano no clube, James vive ótima fase por sua seleção.

O meia vem sendo o principal jogador da Copa América deste ano, e pode ajudar a Colômbia a chegar à final do torneio nesta quarta-feira (10), quando a equipe enfrenta o Uruguai, pela semifinal. Até aqui, James marcou um gol e distribuiu cinco assistências. 

Durante o programa ‘Resenha da Rodada’, da ESPN, o jornalista André Plihal disse que os atletas do São Paulo estariam irritados como o colombiano, muito por conta da diferença de atitude no clube e na seleção. 

“Jogadores do São Paulo estão loucos da vida com o James. Acham que o que ele está fazendo é um desrespeito”, disse Plihal.

Vale lembrar que James já ‘causou’ algumas turbulências no Tricolor. A mais marcante foi na Supercopa Rei, quando, ao saber que não jogaria, se recusou a viajar para Belo Horizonte com o restante do grupo. O SPFC veio a vencer o Palmeiras nos pênaltis e levantou o troféu.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Na Colômbia, ele é o capitão e principal líder da equipe. Está conduzindo seu país rumo à possível final e vem sendo elogiado pelos torcedores, jogadores e, claro, pela imprensa esportiva internacional.

Luis Fabiano fala sobre James

Ainda no mesmo programa, o ex-atacante e ídolo do São Paulo Luis Fabiano, também falou sobre a situação de James no clube. Na visão do atual comentarista, o colombiano achou que teria ‘carta branca’ no Morumbi, mas frisou que ninguém é maior do que o clube.

”Parece que ele chegou no São Paulo e achou que ia fazer tudo o que ele queria porque ele é o James Rodríguez, que os jogadores iam colocar ele num pedestal. Não é assim! Ele queria que o São Paulo mudasse toda a filosofia para que ele jogasse, isso não existe. O São Paulo é maior do que qualquer jogador”, disse.