Hernanes revela bastidores do São Paulo em 2017

Sem dúvida alguma, Hernanes é um dos maiores ídolos recentes do torcedor são-paulino. Além de ter sido bicampeão brasileiro e vencedor do Campeonato Paulista de 2021, que deu fim a um jejum de quase 10 anos, ele praticamente salvou o clube de um inédito rebaixamento. 

Em 2017, a situação começou a piorar no São Paulo. Rogério Ceni foi demitido após deixar a equipe na zona do rebaixamento, e a diretoria contratou Dorival Júnior para salvar o Tricolor.

Contudo, o mais lembrado dessa campanha foi Hernanes, que retornou ao Morumbi por empréstimo e foi fundamental na permanência na Série A. Ele atuou em 19 partidas do Campeonato Brasileiro, tendo marcado nove gols e evitado a queda. 

Em participação no Charla Podcast, o “Profeta” deu detalhes de como foi a sua chegada ao São Paulo na época. Segundo ele, a situação interna era muito ruim, e diversos atletas estavam fora da forma física ideal. 

“O São Paulo que antigamente era referência de organização, de precisão, de performance. Eu chego e dou uma olhada no elenco e, já no olho, eu olhava assim ‘Aquele ali está acima 3kg, aquele ali o percentual de gordura deve estar 15%, aquele ali 20%. E só no olho”, disse.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Hernanes precisou intervir mais de uma vez no ambiente interno do SPFC

Hernanes chegou a chamar o fisiologista do clube e pedir os dados dos atletas tricolores, que estavam muito mal na época. Para piorar, ele contou que havia um depósito de bolachas no clube, e precisou intervir novamente com outro profissional.

“Tinha no CT um depósito com várias bolachas. Cheguei para a nutricionista: ‘não, some isso aí’. Na sobremesa tinha pudim, não sei o quê – ‘pode tirar isso aí’. Me deram a faixa de capitão, chego no ápice da minha forma física. Vi o São Paulo daquele jeito – a lembrança de sete anos antes era de ser top em todos os setores. Tudo relaxado, e ninguém cobrava para a galera entrar no eixo. Aos pouquinhos foi organizando, e a equipe reagindo”, lembrou Hernanes.