Governo Brasileiro se pronunciou sobre Daniel Alves

Prestes a completar 11 meses de prisão após ser acusado de agressão sexual a uma jovem de 23 anos na cidade de Barcelona, na Espanha, o lateral-direito Daniel Alves, dono de conturbada passagem pelo São Paulo entre 2019 e 2021, voltou a ser pauta da imprensa brasileira ao ter seu título de embaixador da Embratur revogado.

Escolhido durante o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro, Daniel Alves foi um dos muitos nomes cortados pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, eleito em 2022. Além dele, outras celebridades como Ronaldinho Gaúcho, Ratinho, Pedro Scooby, Romero Britto, Vitor Belfort e Zezé Di Camargo também constam na lista.

Em entrevista logo após a decisão da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) para a revogação em 17 de novembro, o presidente da organização, Marcelo Freixo, afirmou que a saída dos antigos embaixadores foi “apenas uma formalização” para que a administração encontre perfis mais alinhados com a gestão de Lula.

“Não foi nada contra um ou outro. Essa era uma identificação de embaixadores do governo passado e não faz sentido mantê-los. Nós estamos preparando novos convites, para novos embaixadores, que tenham mais o perfil do que a gente está fazendo hoje com a promoção do nome do Brasil”, afirmou o ex-deputado carioca.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.