Goleiro Bruno venceu na Justiça e conseguiu indenização de R$ 30 mil

Criado nas divisões de base do Atlético Mineiro e com rápida passagem pelo Corinthians na temporada de 2006, o goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza viveu o auge de sua carreira com a camisa do Flamengo. No Rio, ele somou 234 jogos disputados, quatro gols marcados, um Brasileirão e três troféus do Cariocão.

Mas a sua vida viraria de cabeça para baixo à partir de julho de 2010. Na ocasião, Bruno foi preso por homicídio, ocultação de cadáver, sequestro e cárcere privado da ex-esposa, a modelo Eliza Samudio. Posteriormente, o jogador foi condenado a 23 anos de detensão, período este que cumpriu por cerca de “apenas” dez anos.

Quase 12 anos depois da tragédia envolvendo a morte da mãe de seu filho, o também goleiro Bruninho, Bruno voltou a ter seu nome envolvido em uma grande polêmica com relação a modelo. No início deste ano, o ex-Flamengo ganhou na Justiça o direito de ser indenizado em R$ 30 mil por conta de um livro sobre a história dos dois.

A Justiça do Rio de Janeiro acatou à denúncia do jogador de que o rosto dele teria sido usado sem consentimento na capa do livro “Indefensável – O Goleiro Bruno e a História da Morte de Eliza Samudio”.A editora Record, que publicou o livro, afirma que a imagem do ex-goleiro já era pública, o que não convenceu o TJRJ.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Inicialmente, Bruno pediu R$ 1 milhão, além de uma parcela dos lucros obtidos com as vendas do livro. O juiz Luiz Claudio Silva Jardim Marinho reconheceu, na decisão, a proteção constitucional e civil aos direitos de imagem. No entanto, optou por rejeitar a reinvindicação do ex-goleiro por parte dos lucros obtidos nas vendas.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.