Goleiro Bruno está se preparando para pedir aposentadoria do INSS? Confirmado!

Em meio ao seu auge como goleiro de futebol, Bruno teve sua carreira interrompida após o assassinato de Elisa Samúdio, no qual ele foi considerado culpado em 2010. Ele foi condenado por assassinato e ocultação do cadáver de sua ex-namorada.

Depois de sair em liberdade, Bruno não se envolve mais com o futebol, mas não foi por falta de tentativas. Ele até chegou a negociar e fechar com outros clubes de divisões inferiores, mas por conta da reação da torcida, o negócio não foi para frente.

Apesar de estar longe da prisão, o ex-goleiro não desfruta mais do salário milionário que ganhava na época de jogador. Por sinal, ele revelou que está passando por dificuldades financeiras, e para isso, está vendendo algumas de suas camisas de goleiro para pagar suas contas. 

 “O que me sobrou foram as camisas do Flamengo. Estou fazendo rifas para pagar uma pensão que hoje eu não tenho condições. Como pagar se não me deixam trabalhar? A mesma pessoa que me cobra um pagamento de R$ 90 mil é a mesma pessoa que quando eu comecei a trabalhar estava lá apoiando outros grupos, é uma perseguição. Todo mundo acha que eu tenho dinheiro”, disse.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Aposentadoria dos jogadores de futebol

Os atletas profissionais assinam carteira assim como outras profissões, ou seja, o vínculo segue as mesmas regras e benefícios, como auxílio-doença, auxílio-acidente e licença-maternidade. Logo, quando anunciam aposentadoria, possuem os mesmos direitos dos outros.

Dito isso, podem se aposentar devido a idade, exigindo 65 anos para os homens com tempo mínimo de contribuição, além da aposentadoria por invalidez, na qual os jogadores que perdem a capacidade de atuar no esporte por doença ou acidente. Por fim, existe a por tempo de contribuição, aplicada a homens mulheres que possuem 35 e 30 anos de contribuição.