Gol que o Pelé não fez rebaixou o Santos

No último confronto decisivo, o Santos viu suas chances de permanecer na elite do futebol brasileiro serem brutalmente reduzidas após uma sequência de eventos desfavoráveis. O destino cruel se revelou a partir de uma série de lances marcantes que culminaram na queda para a segunda divisão.

O desastre começou com o gol que abriu o placar, quando todos os dez jogadores de linha do Santos se aventuraram no campo de ataque durante a cobrança de um escanteio. A estratégia ousada se mostrou desastrosa, pois a defesa do Fortaleza conseguiu afastar a bola pelo alto.

Basso, com oportunismo, chutou da entrada da área, e a bola, mesmo sendo travada, deixou a defesa do Peixe completamente desarmada. Pochettino aproveitou a oportunidade para lançar a bola para Marinho, que se encontrava completamente isolado. Marinho correu com a bola e não desperdiçou a chance, marcando o primeiro gol para o Fortaleza.

No entanto, o Santos mostrou resiliência ao igualar o placar. Lucas Lima fez um lançamento preciso, encontrando Messias, que subiu notavelmente alto e cabeceou com força. A bola ainda resbalou no travessão antes de estufar as redes do Fortaleza, levando o marcador para o 1 a 1.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

A reviravolta dramática veio nos acréscimos do segundo tempo, quando o Santos, já pressionado, saiu jogando mal no meio de campo. Lucero, do Fortaleza, recebeu a bola na intermediária, percebeu João Paulo adiantado no gol e arriscou um chute de longa distância. O resultado foi devastador para o Santos, com o gol de Lucero selando a vitória do Fortaleza por 2 a 1 e decretando o rebaixamento do Santos para a segunda divisão do futebol brasileiro.

Esse gol do meio-campo ficou conhecido por muitos como o gol que Pelé não fez e por ironia do destino foi um desses que rebaixou o Santos.