Globo não se cala e analisa destino de Lucas Moura

Criado e formado nas categorias de base do São Paulo, o atacante Lucas Moura desperta interesse de diversos clubes do Brasil e do mundo. O atleta não renovou seu contrato com o Tottenham, clube que defende há cinco anos, e está oficialmente livre no mercado.

A torcida do Tricolor fez diversas campanhas nas redes sociais pedindo o retorno do menino de Cotia ao Morumbi. Entretanto, Licas, com apenas 30 anos, não parece estar muito interessada em voltar ao país natal, pelo menos por enquanto.

Ele já demonstrou vontade de voltar a atuar pelo Tricolor em diversas ocasiões. Mas ao que tudo indica, a reestreia será adiada. O interesse saudita nos principais jogadores dos campeonatos europeus estão a todo o vapor. 

Diante disso, o destino de Lucas pode ser a Arabia Saudita, de acordo com o podcast “Grigolândia”, do Globo Esporte. Os apresentadores discutiram sobre o futuro do ex-São Paulo, além de Roberto Firmino, que deixou o Liverpool e também deve assinar com algum clube saudita.

Segundo eles, se até Cristiano Ronaldo, um dos maiores atletas de todos os tempos, se rendeu ao mercado árabe, os outros jogadores tendem a seguirem a mesma decisão.

Lucas analisa seu futuro: volta ou não para o SPFC?

O próprio Lucas já admitiu que está pensando em sua família no momento atual. Com 30 anos e muita lenha para queimar, ele irá analisar as ofertas que tem na mesa para, aí sim, decidir seu futuro.

“Estou livre de contrato agora, então estou aberto para qualquer possibilidade, até de voltar para o São Paulo. Confesso que não está no plano da minha família voltar para o Brasil agora, mas a gente nunca pode descartar nada. Vamos ver o que vai acontecer, o mercado ainda vai abrir, então tem muitas possibilidades. Aí vou decidir com a minha família”,  afirmou Lucas, em entrevista ao”Boleiragem”, do SporTV.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Na visão do jogador, ele ainda consegue render em alto nível na Europa. em fisicamente, ele se sente no auge de sua carreira no momento, mesmo atuando no Velho Continente há mais de 10 anos.

“Mas a questão física eu me sinto no auge da minha carreira. Me sinto muito bem, a minha velocidade não perdi nada. Ainda tenho 30 anos, tem muita coisa para acontecer, ainda mais com a medicina avançada hoje em dia. Jogadores com idade avançada jogando em alto nível. Isso não é problema”, comentou.