Galoppo surpreende e assina contrato com italianos

Giuliano Galoppo foi contratado pelo São Paulo ainda em 2022 junto ao Banfield. Apesar de sua qualidade, é frequentemente questionado por conta do alto valor que custou aos cofres tricolores (pouco mais de R$ 32 milhões). 

Depois de um ótimo começo em 2023, acabou sofrendo uma lesão grave no joelho, operou e retornou somente nesta temporada. Desde então o argentino vem passando por altos e baixos no clube.

Devido a isso, Galoppo fechou com a agência italiana GG11, visando uma futura transferência para a Itália, já que tem dupla nacionalidade. Por sinal, ele teria recebido três sondagens segundo o Bolavip Brasil. Vale destacar que o movimento do meia aconteceu antes da contratação de Luis Zubeldía.

O treinador de 43 anos vem conseguindo rodar o elenco e dar mais chances a atletas que estão sem espaço, como é o caso de Galoppo, que vinha sendo ‘deixado de lado’ por Thiago Carpini. Ele vem atuando de forma frequente, seja como titular ou saindo do banco de reservas. 

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“Contente por ter a sequência, por ter ido bem, por ter dado assistência. O gol não vem saindo por detalhe, mas uma hora sairá. Hoje teve chances. É seguir trabalhando para ajudar nosso time”, disse, após a partida contra o Barcelona de Guayaquil, pela Libertadores.

Futuro de Galoppo

Segundo o Bolavip, a tendência é que Galoppo fique no São Paulo na próxima janela de transferências, em julho. Entretanto, o Tricolor pode aceitar vendê-lo em caso de uma  proposta ‘irrecusável’. O Boca Juniors havia demonstrado interesse, mas é muito improvável que ele retorne ao futebol argentino.

Zubeldía está gostando do comportamento do meio-campista, além de apreciá-lo dentro de campo. O treinador o enxerga como uma espécie de segundo homem ao meio campo, chegando mais a área.

“Estou recuperando aos poucos, tive um ano difícil voltando de lesão, não podemos esquecer. Estou em um bom caminho, preciso continuar melhorando”, concluiu Giuliano Galoppo.