Galoppo estreia com nova camisa na Argentina

O São Paulo estreia nesta edição da Libertadores da América nesta quinta-feira (4), às 21h, diante do Talleres, no estádio Mário Alberto Kempes, em Córdoba, Argentina. Visando um novo ciclo no clube, Galoppo volta ao seu país natal com uma novidade: o novo número de camisa.

O meio-campista trocou de numeração nesta intertemporada, período que a equipe aproveitou para adquirir as táticas de Thiago Carpini após a eliminação precoce no Campeonato Paulista.

Agora, Galoppo é o novo camisa 8 do São Paulo, número que pertencia ao volante Luan, que foi negociado por empréstimo junto ao Vitória. Ele deixa para trás a camisa 14, usada desde quando foi apresentado no Tricolor, ainda em 2022.

Esta será a primeira Libertadores da América pelo São Paulo. Ele vestiu o mesmo número durante sua passagem de destaque pelo Banfield, da Argentina, que durou entre 2020 e 2022. Ele acumula 21 gols em 83 jogos pelo clube, sendo 13 deles somente em 2021 (total de 48 partidas).

Pai de Galoppo já defendeu o Talleres

A estreia da nova etapa pelo Tricolor conta com mais um capítulo especial. Isso porque o Talleres foi uma das equipes que sei pai, Marcelino Galoppo, atuou quando era jogador profissional. Por sinal, conquistou o um título importante em 1998 diante do Belgrano, principal rival da equipe.

No ano citado, ambos os clubes decidiram a B Nacional (segunda divisão argentina), duelo que foi apelidado de “Final do Século” para a população de Córdoba. O Talleres venceu por 1 a 0 na ida, e o pai de Galoppo, que era zagueiro, foi expulso.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Na volta, também disputada no Mario Alberto Kempes, o Belgrano venceu por 2 a 1. Na disputa de pênaltis, o Talleres levou a melhor graças a ótima atuação do goleiro Mario Cuenca. O time era comandado por Ricardo Gareca, que treinou o Palmeiras há anos atrás.

“Meu pai foi muito importante, fundamental. Segui os passos dele no futebol, ele que me fez iniciar no futebol, numa carreira que começou como brincadeira e que hoje se tornou algo profissional. Meu pai sempre foi meu exemplo a seguir”, disse Galoppo, ainda em 2022.