Foi eleito o melhor do mundo por Pelé e entregou a vida pra bebida

A discussão de quem foi o melhor jogador da história do futebol segue muito ativa nos dias de hoje. Muitos dizem que foi Pelé, outros optam por Maradona. Alguns arriscam dizer que Lionel Messi passou os dois, mas poucos lembram de George Best.

Nascido em Belfast, na Irlanda do Norte, em 22 de maio de 1946, Best se tornou um símbolo futebolístico durante sua carreira, e é considerado um dos maiores nomes britânicos do esporte. Acabou falecendo em 25 de novembro de 2005.

O ex-atacante ganhou notoriedade defendendo as cores do Manchester United entre 1963 a 1974. Além da velocidade, possuía ótimos dribles e chutes potentes, o que o tornavam um jogador completo. Fora dos gramados, era sempre muito carismática e seu senso de humor impressionava os fãs. Era um verdadeiro “showman”.

Pelos Red Devils, Best levantou a Liga dos Campeões em 1968, marcando um gol na prorrogação e sendo um dos heróis na final contra o Benfica. Junto a isso, venceu o Campeonato Inglês em duas oportunidades (1965 e 1967).

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Porém, se engana quem pensa que apenas os britânicos o admiravam como jogador. Por sinal, ele recebeu elogios até de Pelé durante a Copa do Mundo de 1970, no México, vencida pela Seleção Brasileira. Na ocasião, o eterno Rei disse que Best era “o melhor jogador do mundo”.

Final da passagem pelo United e problemas com álcool

Apesar da qualidade dentro de campo, o ex-atacante sofreu na luta contra o alcoolismo, prejudicando sua carreira após a saída do Manchester United. Acumulou passagens pelo Los Angeles Aztecs nos Estados Unidos, além de outros times na Austrália e Inglaterra.

George Best anunciou que pendurou suas chuteiras em 1984, e sua luta contra os problemas com bebidas alcoólicas piorou cada vez mais. Acabou morrendo com somente 59 anos por conta de uma doença hepática.