Foi decidido: Cafu escapa de perder mansão de R$ 40 milhões

Capitão do pentacampeonato mundial em 2002, Cafu falhou em tentar leiloar sua mansão em Alphaville, Barueri, em São Paulo. De acordo com informações divulgadas pelo jornal O Globo, o valor mínimo do lance era de R$ 40 milhões, e ninguém se interessou.  Vale lembrar que o leilão foi uma tentativa da Justiça para quitar uma dívida de R$ 11 milhões com o ex-jogador.

A casa fica localizada em um condomínio de luxo, e é uma das maiores, com 3229 m² de área, além do terreno de 2581 m². O local conta com área de lazer, churrasqueira, campo de futebol, piscina ao ar livre e coberta, espaço para festas, salão de jogos, além de escritórios, sala de troféus, cozinha, sauna, elevador, entre outros. A garagem tem espaço para oito veículos

O espaço mais amado por Cafu é a sala de troféus, algo de se esperar, já que o ex-jogador foi um dos melhores e mais vencedores laterais que o futebol mundial já viu. Venceu de tudo, incluindo títulos pelo São Paulo (Libertadores e Mundial), além da Liga dos Campeões da Europa, com o Milan, e duas Copas do Mundo com a Seleção Brasileira.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

No local, ele guarda diversas camisas de time, troféus, medalhas, livros, filmes, entre outros objetos históricos que adquiriu ao longo de toda a sua carreira.

De acordo com o site do Leilão Judicial Eletrônico, duas tentativas foram feitas por Cafu.  A primeira foi de R$ 40 milhões, e a segunda de R$ 35 milhões. Contudo, não apareceu nenhum comprador em potencial. O próximo leilão deve acontecer no dia 4  de dezembro.

Ainda em setembro deste ano, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) decretou o fim do leilão após ação de Cafu. A mansão foi dada como garantia de empréstimos do ex-atleta.

Até o final do ano passado, Cafu tinha uma dívida com bancos de R$ 11 milhões. Visando diminuí-la, outros objetos de valor foram leiloados. Apesar de ter contestado dívida de imóveis, acabou, junto a sua ex-mulher, Regina Feliciano, assinando uma confissão de dívida.