Filho abandonado por ex-São Paulo sonha em conhecer o pai

Com passagens vitoriosas pela Roma, da Itália, Internacional e Seleção Brasileira, o ex-meia Paulo Roberto Falcão acabou pendurando as suas chuteiras no São Paulo, ainda em 1986. Antes de encerrar sua trajetória no futebol profissional, levantou o Campeonato Paulista e o Torneio dos Campeões Rio-SP um ano antes. 

Apesar de seu enorme talento dentro de campo, o “Rei de Roma”, como foi apelidado durante seu período na Itália, convive com uma situação desagradável longe dos gramados. Ele foi acusado de importunação sexual por uma funcionária do prédio em que vivia em Santos. Na época, acabou saindo do cargo de coordenador esportivo do time da Vila Belmiro.

Para piorar, o brasileiro foi surpreendido com uma entrevista do italiano Giuseppe, de 42 anos, ao UOL. Na ocasião, ele diz que é filho de Falcão, mas que não possui uma relação próxima com ele. Apesar disso, ele ainda acredita que há tempo para resolver essa questão incômoda. 

“Eu gostaria de ter relação com meu pai. Gostaria que pudéssemos ter uma amizade, que é o que podemos ter hoje. Hoje tenho 42 anos, não vai ser exatamente uma relação de pai e filho. Meu pai não vai trocar minha fralda, ficar a madrugada acordado porque tenho febre. Esse tipo de experiência não volta mais”, disse.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Giuseppe não tem contato com o pai, que teve relações com sua mãe quando morava em Roma, ainda quando atuava no time da capital. Nos últimos tempos, o próprio italiano se tornou pai, e optou por fazer uma homenagem ao ex-atleta, colocando o nome de seu filho de Pietro Falcão. “Ele poderia ter a satisfação de ser avô”, completou.