Fifa impõe nova punição e jogos do São Paulo podem ser encerrados prematuramente

Nesta quinta-feira (16), a Fifa divulgou que o racismo não será mais tolerado dentro do futebol. A entidade confirmou que as 211 filiadas à ela terão que incluir artigos específicos para enquadrar práticas de racismo com  “sanções próprias e severas”, podendo culminar no encerramento da partida e na derrota do time em que o ato foi associado. 

Para comunicar um ato racista, os jogadores devem mostrar um gesto específico, com os dois braços cruzados na mesma altura dos punhos, junto às mãos e dedos esticados. Os árbitros devem seguir o mesmo padrão. A partir disso, se iniciará um protocolo que contará com:

“O árbitro deve parar e pedir um anúncio (ao sistema de som e/ou telão) exigindo o fim do comportamento racista;

Caso os atos continuem, o árbitro pode suspender a partida temporariamente, com a saída dos times de campo e um novo anúncio de advertência

Finalmente, se o comportamento ainda persistir, o árbitro pode determinar o fim da partida, com derrota do time associado aos atos racistas”, divulgou a entidade.

Como mencionado anteriormente, o time associado ao ato sofrerá punições severas. Apesar de não ter como mudar a lei de cada país, fará o possível para punir os criminosos. Por sinal, será criado um painel formado por atletas e ex-jogadores nas 211 associações do futebol. Também será criado o programa para a educação de crianças, criado pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Vinícius Júnior teve participação na campanha

Principal jogador brasileiro neste momento, Vinícius Júnior, do Real Madrid, foi um dos jogadores que foram consultados pela Fifa. Por sinal, ainda em junho de 2023, ele recebeu uma visita de Gianni Infantino. Acabou e tornando o principal símbolo da luta anti racista.

Segundo o secretário-geral da Fifa, Mattias Grafstrom, a entidade realizou um “processo de consulta com jogadores e ex-jogadores, homens e mulheres, do mundo todo”, extraindo “opiniões e contribuições que resultaram numa proposta de ação consolidada”.