Fernando Diniz está de volta a “Seleção Brasileira” de maneira inesperada

Antes de anunciar Dorival Júnior como novo treinador da Seleção Brasileira, o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, optou pela demissão de Fernando Diniz. O treinador do Fluminense estava no comando da Amarelinha de forma interina, já que o Brasil estava à espera do “sim” do técnico Carlo Ancelotti.

De volta ao Tricolor das Laranjeiras, Diniz trabalhará com os mesmos jogadores da última temporada, que culminou no título inédito da Libertadores da América. O clube ainda está perto de anunciar a contratação do meia-atacante Douglas Costa, que estava sem contrato após saída do Los Angeles Galaxy, dos Estados Unidos.

Com a adição do experiente atleta que tem passagens pelo Bayern de Munique, da Alemanha, e Juventus, da Itália, o elenco do Flu fica ainda mais forte. Por sinal, os torcedores já foram às redes sociais para dizer que Diniz terá a sua própria “Seleção Brasileira”.

Atualmente, o plantel do Fluminense conta com sete jogadores que já vestiram a camisa do Brasil em algum momento de suas carreiras. São eles: Marcelo, Paulo Henrique Ganso, Felipe Melo, Douglas Costa, André, Fábio e Renato Augusto.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Confira as estatísticas dos atletas pelo Brasil:

:

  • Marcelo – 58 jogos realizados e seis gols marcados
  • Renato Augusto – 33 jogos realizados e seis gols marcados
  • Douglas Costa – 31 jogos realizados e três gols marcados
  • Paulo Henrique Ganso – 8 jogos realizados e nenhum gol marcado
  • Felipe Melo – 22 jogos realizados e 2 gols marcados
  • André – 4 jogos realizados e nenhum gol marcado
  • Fábio – 3 jogos realizados e nenhum gol marcado

Desempenho abaixo de Diniz pela Seleção Brasileira

Mesmo sendo apenas o treinador interino, o desempenho de Diniz à frente do Brasil não foi dos melhores. Em seis partidas comandando a pentacampeã do mundo, acumulou duas vitórias (Bolívia e Peru), um empate (Venezuela) e três derrotas (Uruguai, Colômbia e Argentina). Para piorar, o treinador do Fluminense acabou quebrando alguns recordes negativos com a Seleção Brasileira:

  • Primeira vez que a Venezuela não foi derrotada pelo Brasil (Brasil 1 x 1 Venezuela)
  • Primeira vez que o Brasil perde mais de dois jogos seguidos nas Eliminatória (Uruguai, Colômbia e Argentina)
  • Primeira derrota para a Colômbia na história das Eliminatórias (Colômbia 2 x 1 Brasil)
  • Mais gols sofridos que em toda a última Eliminatória: 2018 (5) x 2023 (7)