Federação não quer ver o São Paulo contratando mais estrangeiros

Ainda no ano passado, houve um aumento do número de jogadores estrangeiros relacionados por partida. As equipes só podiam contar com, no máximo, cinco atletas não nascidos no Brasil entre titulares e reservas. Depois da aprovação por unanimidade, a mudança para sete foi aceita.

Agora, os clubes pediram mais um aumento neste número, indo para nove. A pauta será discutida no Conselho Técnico da CBF nesta terça-feira (5). Entretanto, se depender da Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf), a mudança não será aprovada. A entidade prepara um estudo que cita mais de 14o atletas gringos que atuam no país, considerando o númer muito alto.

“Já cobrei o presidente da CBF (Ednaldo Rodrigues) sobre o tema por ofício. Era cinco e virou sete. Agora querem nove. É estrangeiro demais. O futebol brasileiro precisa de socorro”, disse Alfredo Sampaio, atual presidente da Fenapaf.

O mesmo grupo que representa os jogadores também quer proibir a utilização dos gramados sintéticos. Claro que não seria algo imediato, e o processo teria que passar por uma transição no Nilton Santos (Botafogo), Allianz Parque (Palmeiras) e Arena da Baixada (Athletico-PR).

Violência também será discutida entre a CBF e jogadores

Além do possível aumento do número de jogadores estrangeiros relacionados por jogo, algo que a Fenapaf já se colocou contra, e na questão dos gramados sintéticos, a CBF também irá conversar com 20 capitães dos times da Série A.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Segundo o jornalista Mário Kempes, a ideia é conversar sobre os episódios recentes de violência no futebol brasileiro. Recentemente, o ônibus da delegação do Fortaleza foi atacado por torcedores do Sport, deixando diversos feridos.