Famosos juízes de São Paulo são citados em CPI

As declarações de John Textor surtiram efeito no futebol brasileiro. Depois de dizer que havia um esquema de manipulação de resultados nos últimos Campeonatos Brasileiros, o norte-americano foi chamado para dar seu depoimento na CPI da manipulação de Jogos. Depois dele, o presidente da sessão, Jorge Kajuru , optou por convocar árbitros para depor. As informações foram divulgadas pela Agência O Globo.

A dupla Raphael Claus (Fifa/SP) e Daiane Caroline Muniz dos Santos (VAR-Fifa/SP) devem falar em breve. Segundo o senador citado, ambos foram escalados juntos na arbitragem em 11 ocasiões (do total de 38 rodadas) no Brasileirão do ano passado. Outras duplas estiveram juntas em, no máximo, três jogos.

“É flagrante que essa enorme quantidade de atuações conjuntas da dupla causa estranheza e cria exposição desnecessária aos dois. Afinal, é notório que o risco de erro é proporcional ao número de atuações”, diz o documento.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Haverá uma sessão nesta quarta-feira (24) para a definição dos dias das sessões. Além da dupla citada, Wilson Luiz Seneme, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Hélio Santos Menezes Junior, diretor de Governança e Conformidade da CBF e Glauber do Amaral Cunha, ex-árbitro de futebol, também devem falar.

“Isso posto, torna-se cristalino que o depoimento de Sua Senhoria servirá para que esta CPI conheça melhor os detalhes acerca da confecção da tabela de árbitros, bem como sobre o funcionamento do sistema de comunicação de VAR”, consta no documento.

Ainda segundo o senador Carlos Portinho, ambos acabaram “se envolvendo em lances polêmicos em algumas dessas partidas de 2023, assim como num clássico do Campeonato Paulista de 2024″. Os lances em questão foram o gol de Bruno Henrique contra o Botafogo, o gol de Praxedes contra o Fluminense e o gol de Endrick em cima do Corinthians, ja nesta temporada.