Eterno rival do São Paulo está proibido de contratar jogadores

Enquanto São Paulo e Palmeiras se preparam para a disputa da Supercopa do Brasil no próximo final de semana, Corinthians e Santos sofrem com crises que parecem nunca ter fim. Enquanto o primeiro acumula três derrotas seguidas na atual temporada, o segundo terá de se explicar na FIFA por conta de dívidas milionárias.

Na tarde desta quinta-feira (01), o Santos sofreu um transfer ban da entidade máxima do futebol por conta de uma ação movida pelo técnico Fabián Bustos, dono de passagem pela Vila Belmiro entre fevereiro e julho de 2022. Segundo o argentino, o Peixe lhe deve US$ 1,2 milhão (cerca de R$ 5,9 milhões) pela cotação atual).

O valor seria referente ao rompimento do contrato por parte do clube. Na ação, Bustos cobra os salários entre a sua demissão, em julho de 2022, e o fim de 2023, quando seu contrato com o clube terminaria. Já sabendo do processo, o departamento jurídico do Santos tem trabalhado para reverter a sanção, mas ainda não obteve sucesso.

Em função do transfer bran, o Santos não poderá inscrever o goleiro Gabriel Brazão, recém-contratado, para a disputa do Campeonato Paulista. Antes dele, o clube contratou Aderlan, Hayner, Jorge, Gil, João Schmidt, Pituca, Giuliano, Otero, Cazares, Pedrinho, Guilherme, Marcelinho e Willian Bigode, todos já inscritos no estadual.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Rival do São Paulo foi punido pelo STJD

Eterno rival do São Paulo, o Santos recebeu uma novidade nada agradável nesta quarta-feira (30). Julgado pela 3ª comissão disciplinar do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), o clube foi punido por conta da confusão ocorrida na Vila Belmiro na partida contra o Fortaleza, pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2023.

Na partida, que selou o rebaixamento do Peixe para a Série B do Brasileirão, diversos incidentes foram vistos tanto nas arquibancadas quanto nos arredores do estádio. O Santos foi denunciado no artigo 213 do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva), que trata de “deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir”.

Por fim, se curtiu a matéria não deixe de acessar com frequência o Portal do São Paulino.